Alunos do 12º ano de Artes Gráficas do EICM com curta metragem “Nós Turma” para estimular alunos dos Liceus do país na produção audiovisual

4/03/2020 01:04 - Modificado em 4/03/2020 01:04

Os alunos do 12º ano de escolaridade de Artes Gráficas da Escola Industrial e Comercial do Mindelo – Guilherme Dias Chantre (EICM) têm em agenda apresentar no próximo mês uma curta metragem de humor com cenas soltas, com o intuito de estimular alunos dos liceus do país na produção audiovisual.

O projeto que se encontra já numa fase avançada de produção é a primeira a ser criada em Cabo Verde por alunos do ensino secundário e segundo o professor desta turma, Isaías Santos, a ideia por detrás deste projeto teve como objetivo principal estimular os demais alunos na área da produção audiovisual a começar desde já a assumir a responsabilidade de trabalhar em equipa o que é de suma importância, pois ao longo da sua trajetória enfrentarão vários desafios no mercado de trabalho.

“O projeto em si é uma curta-metragem de humor. Não é uma narrativa, mas sim, cenas soltas onde mostramos os diversos tipos de alunos que podemos encontrar numa sala de aula. Onde cada aluno criou uma personagem com a sua descrição física e psicológica, como a assustadora, a popular, a comilona, a pidona, os pombinhos, o atrasado, o trapaceiro, o repetente, a perturbadora, o nerd, o gamer e a dorminhoca” situa.

Nisto, afirma que os alunos que se preparam para deixar o ensino secundário e se incorporarem nas universidades, terão que ter este contacto com a aérea de Produção Audiovisual, porque entende que será um mundo novo para eles e que naturalmente não têm noção do que lhes espera nessa nova fase.

“Então, se o objetivo dos liceus é de preparar os alunos para a Universidade, tem lógica uma Escola Técnica trabalhar a área de cinema e produção audiovisual no nosso país. E nada melhor que começar já nos liceus para quando chegarem nas universidades estarem mais preparados.  E nós já iniciamos aqui na vertente Design e Multimédia com a produção e Audiovisual” vinca Isaías Santos.

Para já, como diz, a pretensão é apresentar primeiramente esta curta-metragem fora do ambiente escolar, com o intuito de mostrar à sociedade que no Liceu também se pode produzir algo de bom. “Não podemos ter medo de produzir. São alunos do 12º ano e, portanto, é claro que as pessoas não podem estar à espera de um trabalho profissional, mas sim para começarem a entender que é o caminho a seguir. É um orgulho para estes alunos verem o seu trabalho reconhecido fora das escolas” acrescenta.

Por fim, frisa que será apresentado se o tempo permitir em todos os liceus da ilha, com o intuito de motivar e estimular os alunos e professores a enveredarem por este caminho da produção audiovisual nas escolas. 

Para a aluna Karin Silva, que incorpora a personagem “A Assustadora”, este projeto foi um “grande desafio” proposto pelo professor, pois com isso tiveram o primeiro contacto com produções do tipo e que enriqueceram os seus conhecimentos.

A aluna garante que apesar de alguns obstáculos encontrados pelo caminho, o resultado é positivo. “Tem sido um bom trabalho porque todos têm cumprido as suas funções”.

Já a aluna Jacqueline Ferreira, entende que o projeto teve uma “grande ajuda” porque sendo uma “apaixonada pela escrita”, pôde assim colaborar nas cenas desta curta-metragem. “Este projeto foi muito importante, porque com isso já aprendemos a trabalhar em equipa, o que é difícil hoje em dia, porque houve muita entreajuda e troca de ideias”.

Por fim, assegura que querem mostrar que é possível fazer um filme de ações soltas sem o uso da fala. “Sem diálogo já vão entender o que os personagens querem transmitir. Basicamente é isso um dos objetivos deste projeto” conclui.

Neste momento o projeto final desta turma que é formada por 17 alunos, e com a participação do artista sanvicentino, Ary Beatz, está em fase de conclusão pelo que será apresentado em data a confirmar no mês de Abril.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.