Covid-19: Taxa estimada de mortalidade é de 3,4%, maior do que a gripe

3/03/2020 19:57 - Modificado em 3/03/2020 19:58

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) teceu esta terça-feira algumas diferenças entre o novo coronavírus e a gripe sazonal. Uma delas, garantiu Tedros Adhanom Ghebreyesus, é a imunidade, que existe para algumas estirpes de gripe sazonal mas que não existe para esta nova estirpe de coronavírus, o SARS-CoV-2 (do inglês ‘Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2’), agora chamado Covid-19 (do inglês ‘Coronavirus Disease 19’).

“Isto significa que mais pessoas são suscetíveis à infeção e algumas vão ter sintomas graves. Globalmente, cerca de 3,4% do casos reportados de Covid-19 resultaram em morte. Em comparação, a gripe sazonal mata geralmente menos de 1% daqueles que são afetados”indicou o responsável da OMS.

Embora a taxa de mortalidade por gripe sazonal seja de menos 0,1%, milhões de pessoas contraem gripe todos os anos, fixando o número anual de mortos em centenas de milhares.

Sublinhe-se que esta taxa de mortalidade é estimada, uma vez que são necessários mais dados sobre os vários países afetados para chegar a um número conclusivo. O enviado da OMS que liderou uma equipa de cientistas recém-chegados da China, Bruce Aylward, indicou recentemente que as autoridades devem ter cuidado com taxas de mortalidade “artificialmente altas” no início: alguns destes países provavelmente estão a atender apenas pacientes num estado mais grave, como ocorreu inicialmente em Wuhan, enquanto casos mais leves abdicam de consultar os médicos. Esta facto inflaciona as taxas de mortalidade.

Ainda assim, esta taxa de mortalidade do Covid-19 é bastante mais baixa da registada com outros coronavírus como a SARS (9,5%), responsável pelo surto de Síndrome de Pneumonia Aguda Grave em 2002-2003, e a MERS (34,5%).

Tedros Adhanom Ghebreyesus explicou ainda que ainda não existe vacina para o Covid-19, ao contrário do que acontece com a gripe sazonal, assim como também não existem medidas de contenção para a gripe. “Não seria possível, simplesmente. Mas é possível para o Covid-19”, disse.

“Em conclusão, o Covid-19 espalha-se com menos eficiência do que a gripe, a transmissão não parece acontecer em pessoas que não estejam doentes, causa doença mais grave do que a gripe, não existem ainda vacinas ou tratamentos e pode ser contido – e é por isso que devemos fazer tudo ao nosso alcance para o conter”, explicou o diretor-geral.

Tedros Adhanom Ghebreyesus sublinhou que “estas diferenças significam que não se pode tratar o Covid-19 exatamente da mesma maneira que se trata a gripe”.

Recorde-se que surto de Covid-19, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.100 mortos e infetou mais de 90.300 pessoas em cerca de 70 países e territórios, incluindo quatro em Portugal. Das pessoas infetadas, cerca de 48 mil recuperaram, segundo autoridades de saúde de vários países.

Por Notícias ao Minuto

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.