Irmão de Faby Santos diz que o jovem não tinha inimigos e não consegue explicar a motivação do assassinato

2/03/2020 16:54 - Modificado em 2/03/2020 16:54

O suspeito do crime foi detido logo na tarde de ontem. Trata-se de um jovem residente na localidade de Chã de Alecrim e que está sob a alçada da polícia para ser apresentado oportunamente ao tribunal. As investigações do caso estão agora a cargo da Polícia Judiciária, conforme informações da PN.

Didá da Luz, irmão da vítima, em nome da família que se encontra destroçada com o assassinato do jovem de 21 anos e pai de um bebé, diz que o irmão não tinha inimigos, ao contrário das informações de que teria sido morto por motivações de vingança de grupos de gang.

Faby Santos era o mais novo de cinco irmãos, residia no bairro da ilha da Madeira, em Ribeira Bote, foi esfaqueado este domingo, por volta das 17 horas, durante o desfile dos mandingas no Enterro do Carnaval 2020, na zona de Madeiralzinho.

Faby Santos faleceu ontem à noite no Hospital Baptista de Sousa, na sequência de um golpe de faca que atingiu a região torácica.

Uma testemunha ocular, em declarações ao NN, diz que o agressor aproximou-se do jovem com uma faca, atingindo-o de surpresa em frente de várias testemunhas e fugiu imediatamente do local. “Ele apareceu do nada, tirou a faca e atingiu o jovem. Ficamos todos atónitos com a situação. Os companheiros da vítima ainda queriam incentivar o jovem a retaliar a agressão após o ferimento, mas foi acionado logo a polícia que o levou para o hospital”.

Didá da Luz, em declarações a TCV, disse que o corpo do irmão vai ser submetido a autopsia esta terça-feira e liberado para funeral.

O que se questiona neste momento, é como é que um jovem sai para se divertir e leva consigo uma arma branca. Afinal, foi à procura de animação ou de confusão e disposto a partir para a violência por motivos fúteis.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.