Atleta paralímpico Carlos Araújo garante estar motivado em conseguir os mínimos para Tóquio 2020

7/02/2020 00:56 - Modificado em 7/02/2020 00:56
| Comentários fechados em Atleta paralímpico Carlos Araújo garante estar motivado em conseguir os mínimos para Tóquio 2020

O atleta paralímpico Carlos Araújo, de 33 anos, que está a preparar-se para a ronda final de qualificação em Marrocos, para os Jogos Olímpicos Toquio-2020, assegura que vai fazer de tudo para poder alcançar os mínimos que garantem o passaporte para esta grande prova internacional. Por outro, lado diz-se triste, pois entende que não tem tido os apoios necessários por parte do Governo.

Araújo que por várias vezes já foi campeão de Cabo Verde, procura este mês alcançar em Marrocos, nas distâncias de 100 e 400 metros e no salto em cumprimento, os mínimos para Toquio-2020, o que segundo o mesmo seria um “sonho e um feito inédito na sua carreira”.

Neste momento o atleta está de malas feitas rumo a capital do país, onde vai dar sequência à preparação antes de rumar para Marrocos, onde terá a derradeira hipótese de conseguir tal feito, que coroaria uma carreira cheia de sucessos.

No entanto, para deslocar até a cidade da Praia, este atleta paralímpico da localidade de São Pedro, portanto, numa zona piscatória, revela que precisa de patrocínios no que toca ao bilhete de passagem e ainda alojamento, que estará sob a sua responsabilidade até a partida para Marrocos.

“Um atleta que tem objetivos, tem que ter apoios, falo de pista de atletismo em condições e estadia. Para representar o meu país terei que deixar a minha família para trás durante algum tempo, e para preparar-me da melhor forma possível, eles precisam de estar bem. Faço todo o esforço para representar bem o meu país, porque é preciso trabalhar duro, mas as entidades como o Governo tem que ajudar, porque sozinho não consigo alcançar os objetivos” frisa o atleta que é da opinião que todos os atletas que representam o seu país deveriam ter direito a um subsídio pelo menos todo o mês, e sugere que o executivo analise este cenário.

 “Temos que ter outras condições para podermos focar plenamente no nosso objetivo. E o meu é o de alcançar os mínimos, pois é o sonho de todos os atletas. Nada é impossível e com humildade, muito trabalho, foco, determinação e dedicação que tudo é possível” concluiu Carlos Araújo.

De realçar que Araújo vai estar envolvido nas competições de 100 e 400 metros e ainda em Salto em Comprimento. Nos 100 metros terá que igualar ou baixar a barreira dos 11 segundos, ao passo que nos 400 metros terá que fazer um tempo igual ou inferior aos 53 segundos. Para o salto em comprimento revela que ainda não foi notificado sobre a marca a alcançar para conseguir os mínimos para o Japão.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.