OMS quer travar informações falsas veiculadas nas redes sociais sobre o surto do coronavírus

3/02/2020 15:39 - Modificado em 3/02/2020 15:39
| Comentários fechados em OMS quer travar informações falsas veiculadas nas redes sociais sobre o surto do coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS), garantiu hoje que está a trabalhar em parceria com a Google, para tentar garantir informações verídicas e fidedignas e travar informações falsas sobre o surto do novo coronavírus.   

No seu boletim diário do novo surto da epidemia do Coronavírus que surgiu na China e causa pneumonias virais, declarado emergência de saúde pública internacional, a OMS indica que o surto está a ser rodeado de informações “falsas ou imprecisas” e para isso está a lutar juntamente com o Facebook, Twiter, entre outras redes sociais, que inclusive já tomaram medidas para limitar a disseminação da desinformação. 

A OMS garante que as equipas estão a trabalhar 24 horas para identificar rumores mais comuns sobre o novo Coronavírus, como publicações de falsos conselhos da internet, associadas a substancias e tratamentos ou fármacos que devem ser tomados.

De realçar que recentemente uma informação veiculada nas redes sociais, apontando o chá de erva-doce como provável cura para o coronavírus (vírus que causa doenças respiratórias), levou ao esgotamento desta erva nos mercados municipais de São Vicente e da Cidade da Praia. No entanto, uma informação desmentida pela Delegada de Saúde de São Vicente, dando conta que esta era falsa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.