ZEEM de São Vicente: Implementação em 15 anos com investimento de 2 biliões de dólares

21/01/2020 00:30 - Modificado em 21/01/2020 00:30
| Comentários fechados em ZEEM de São Vicente: Implementação em 15 anos com investimento de 2 biliões de dólares

O projeto da Zona Económica Especial de Economia Marítima (ZEEM), apresentada esta segunda-feira, no Mindelo, tem como destaque as mudanças profundas que irá sofrer todo o sector marítimo. Um projeto cuja execução está estimada para 15 anos e que terá um orçamento global de 2 biliões de dólares para a sua materialização.

De acordo com o vice-coordenador do projeto da Zona Económica Especial da Economia Marítima de São Vicente, Paulo Lopes da Silva, este projeto será de suma importância, porque irá dotar a ilha de um quadro de incentivos competitivos para atracão de investimentos privados e parcerias público-privadas nas atividades relacionados com a económica marítima.

Destacou o Terminal de Contentores, Terminal de Pesca, reparação naval e o centro logístico para exportação do pescado e a criação de uma nova central na zona de Saragarça, que acolherá a infraestrutura, entre outros.

Também neste quadro que está previstas para até 2025 mudanças profundas na zona norte do país com principal destaque para as ilhas de São Nicolau e de Santo Antão que vão servir de apoio à ilha de São Vicente, com os seus potenciais, como a agricultura e pecuária.

Para que São Vicente seja alvo destas mudanças, serão  precisos 2 biliões de dólares, um montante que supera o Orçamento do Estado Cabo-verdiano, mas isso não preocupa o coordenador do projeto, que garante que se a ilha e a zona norte do país quiserem dar este salto e chegar perto do Senegal e Canárias, principais concorrentes de Cabo Verde nesta zona africana, tem que haver riscos e para isso o Governo está empenhado em abrir portas para todos os investidores dos quatro cantos do mundo.

Nesta senda, um dos entraves para a implementação do projeto poderá vir a ser o Aeroporto Internacional Cesária Évora que quando assolado pela bruma seca, não consegue dar resposta ao escoamento de passageiros. Ora neste sentido, Paulo Lopes da Silva, garante que o aeroporto vai ser alvo de modificações no decorrer ou após a materialização deste projeto, vincando que o Governo já tem todos os estudos necessários para que a ZEEMSV tenha grande sucesso nesta zona do país.

Por sua vez o edil sanvincentino, Augusto Neves, mostrou-se regozijado com este projeto a ser implementado nos próximos tempos em São Vicente, garantindo que é preciso pensar grande e que não deverá haver medo de arriscar com projetos desta magnitude.

De frisar que a Lei-quadro da ZEEMSV foi aprovada em Julho do ano passado, durante reunião do Conselho de Ministros, realizada na cidade do Mindelo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.