PJ portuguesa não exclui hipótese de ódio racial na morte de Giovanni

8/01/2020 17:11 - Modificado em 8/01/2020 17:11
| Comentários fechados em PJ portuguesa não exclui hipótese de ódio racial na morte de Giovanni

A hipótese de um crime de ódio racial contra o estudante Giovani, em Bragança, Portugal, não é descartada pela Polícia Judiciária portuguesa, que fala em todas as hipóteses sobre este caso que marca a atualidade.

De acordo com jornal o Expresso, “nenhuma hipótese está posta de parte” no caso da morte do cabo-verdiano em Bragança. É que a própria PJ sublinhou que, neste momento “está tudo em aberto” e não é excluído qualquer possibilidade sobre a motivação do crime que originou a morte do estudante natural dos Mosteiros, ilha do Fogo. Sabe-se que a PJ admite as hipóteses de ódio racial e de um crime de motivo fútil.

Giovanni de 21 anos, chegou a Portugal em outubro para estudar e na mala carregava muitos sonhos e no dia 21 de dezembro, quando foi brutalmente espancado, esse sonho começou a desaparecer e morreu juntamente com ele a 31 de dezembro.

O jovem estava em Bragança para se licenciar em Design de Jogos Digitais no instituto politécnico local, embora as aulas deste curso sejam lecionadas no Campus de Mirandela.

Ontem a PJ adiantou que foram identificados alguns dos supostos agressores de Giovanni mas, até agora ninguém foi detido e as autoridades estão a interrogar testemunhas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.