“Tubarões Azuis” a nadar em águas turbulentas o que suscita preocupações para 2020

31/12/2019 02:20 - Modificado em 31/12/2019 02:20
| Comentários fechados em “Tubarões Azuis” a nadar em águas turbulentas o que suscita preocupações para 2020

Com alguns resultados negativos, a seleção nacional de futebol viu perder nos últimos tempos lugares no ranking da FIFA, prova disso é o 78º posto que terminará o ano 2019. A juntar a isso está o facto de a seleção estar ainda sem selecionador e com os problemas financeiros para 2020, conforme foi revelado pelo presidente da FCF, Mário Semedo.

Com o passar dos anos a seleção nacional tem vindo a regredir no ranking FIFA, longe do auge conseguido em 2014, quando a seleção alcançou a melhor posição de sempre no ranking com o 27º lugar e volvido um ano o número um de África.

De resto a seleção que teve uma exposição mediática durante o período de boa forma, 2012-2016 (apuramento para o CAN 2013 e 2015), começa a ter dificuldades em voltar a afirmar-se. À partir daí foram sucessivas quedas no ranking FIFA e africano, e que a cada ano que passa o cenário é mais desolador, prova disto é que este ano Cabo Verde termina no lugar 78 do ranking FIFA e no 16º posto a nível africano, apesar de estar a liderar os países do PALOP.

A juntar a isso está o facto de a seleção fechar este ano sem selecionador após a saída recente de Rui Águas, que abraçou um novo projeto no Santos do Brasil. Desde a sua saída, a imprensa portuguesa já apontou dois nomes (Barão e Sandro Mendes), como possíveis futuros selecionadores nacionais, mas em Cabo Verde a preferência passa por um treinador cabo-verdiano já com vasto pergaminhos nos campeonatos regionais e nacionais.

Outro problema apontado pelo presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), Mário Semedo, está no facto de a seleção estar sem muitos apoios para 2020, com um orçamento neste momento de 240 mil contos, o que segundo o mesmo coloca em risco a participação da seleção crioula na Qualificação para a CAN 2021 e apuramento para o Mundial de 2022.

Com todos estes cenários antevê-se mais um ano cheio de dificuldades para entidade que gere o futebol no país, o que certamente terá influências na performance da nossa seleção.

Cabo Verde recorda-se teve a sua pior classificação de sempre no ranking mundial em 2000, quando fechou o ano ocupando o modesto 182º lugar. A melhorar o seu desempenho os Tubarões Azuis conseguiram desde 2009 manter-se no top-100, onde até então se tem mantido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.