Retrospetiva/Cultura: Consagração da Morna como Património Imaterial da Humanidade foi o ponto alto de 2019

30/12/2019 00:42 - Modificado em 30/12/2019 00:42
| Comentários fechados em Retrospetiva/Cultura: Consagração da Morna como Património Imaterial da Humanidade foi o ponto alto de 2019

A classificação da Morna como Património Cultural Imaterial da Humanidade, marcou o ano de 2019 a nível cultural. Um facto que irá preservar e projetar este género musical, que é tido como o espelho da alma do povo cabo-verdiano.

Depois da entrega em 2018 do dossier de candidatura da morna na sede da Unesco, em Paris, este ano, mais concretamente a 11 de Dezembro, veio a boa nova que todos os cabo-verdianos, e não só, esperavam com ansiedade: o aval positivo dado pelo Comité Intergovernamental do Património Cultural Imaterial da Unesco, em Bogotá na Colômbia.

Um marco histórico para Cabo Verde, que foi alvo de diveras reações manifestadas pelos mais altos representantes da Nação, desde os presidentes da República e da Assembleia Nacional aos partidos políticos, passando pelas mais diversas associações, assim como pelos compositores e músicos entre várias outras personalidades da vida cabo-verdiana e estrangeiras.

Este ano as celebrações do Dia Nacional da Morna, assinalado a 03 de Dezembro, tiveram um “sabor especial” e foi dedicada a Cesária Évora, a nossa Cize, internacionalmente conhecida como a “Diva dos pés descalços” tida como a voz “máxima” da morna e que foi a embaixadora deste género musical e estandarte de Cabo Verde por esse mundo fora.

No final de todo este processo que levou a morna a ser reconhecida como Património Cultural Imaterial da Humanidade, o Conselho de Ministros decidiu atribuir a Medalha de Mérito Cultural de primeiro grau à Comissão Técnica e Científica do processo de candidatura da Morna.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.