Implementação do Projeto “Cidade Segura” para São Vicente orçado em 505 milhões de escudos

2/12/2019 16:13 - Modificado em 2/12/2019 16:14

A segunda fase do projeto “Cidade Segura”, uma medida do Governo para o combate à criminalidade e a promoção da segurança pública, tem destinado para a ilha de São Vicente cerca de 505 milhões de escudos.

Financiado e executado pelo governo da China, o projecto “Cidade Segura” ronda os 505 milhões de escudos em São Vicente, 147 milhões no Sal (Santa Maria e Espargos) e 100 milhões de escudos na Boa Vista, ficando Cabo Verde com a incumbência na execução das obras físicas nos centros de comando.

O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, avançou que a entrada em funções do projeto, na cidade da Praia, reduziu o tempo de resposta das ocorrências de forma “muita significativa”, respostas cada vez mais às solicitações, antecipar e impedir várias ocorrências, assim como o apuramento das responsabilidades a nível dos acidentes rodoviários como uma das vantagens deste projeto.

O projecto “Cidade Segura”, foi desenvolvido com o intuito de dotar os principais centros urbanos do país de uma estrutura de segurança pública que permite abordar as questões securitárias numa óptica preventiva e reactiva, com maior eficiência e eficácia, de modo a contribuir para a segurança pública, responder atempadamente a emergências, diligências policiais e controlo da circulação de transportes.

Além das câmaras de segurança “integra uma componente fundamental de comunicações rádio, uma rede TLE exclusiva, que se tornou a primeira rede 4G do país, permitindo transmitir dados áudio e imagens, o que garante uma comunicação policial permanente e coordenada”.

Em 2020, São Vicente, Sal e Boa Vista são as ilhas que vão ser contempladas nesta segunda fase do projeto.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.