UCS: “A política económica e social do Governo tem permitido a economia do país crescer”

27/11/2019 15:21 - Modificado em 27/11/2019 15:21
| Comentários fechados em UCS: “A política económica e social do Governo tem permitido a economia do país crescer”

No debate desta quarta-feira com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, sobre juventude, qualificação e emprego, o governante afirma no seu discurso que apesar das dificuldades do país, a política económica e social do Governo tem permitido a economia do país crescer.

“Conhecemos todos as dificuldades deste país, mas sabemos também que não é explorando e fazendo a apologia da pobreza e do assistencialismo que se produz a riqueza, se criam empregos e se criam as condições para a melhoria da qualidade de vida das famílias”, afirma UCS. O mesmo acrescenta que o que o país deve oferecer aos jovens, são condições e oportunidades para serem cidadãos livres, autónomos, responsáveis e proactivos na construção de soluções para as suas vidas.

“É esta a via que este governo está a seguir através de políticas de inclusão social dirigidas às famílias, do acesso à educação de qualidade, da qualificação para a empregabilidade e de estímulos e incentivos ao empreendedorismo”.

Citando dados, o primeiro-ministro diz que em 2017, cerca de 64.638 jovens estavam fora do Emprego, da Educação e da Formação. Em 2018, este número foi reduzido para 62.130 jovens.

“De janeiro a setembro de 2019, reduzimos para 54.906 graças à massificação da formação e de estágios profissionais” e que em 2021, pretendem reduzir para 20.000 o número de jovens sem Emprego, sem Educação e sem Formação, correspondendo a 10% do total dos jovens do país.

“Reduzir de forma significativa a proporção de jovens sem Emprego, sem Educação e sem Formação, é um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável que pretendemos atingir”.

No próximo ano letivo, 2020/2021, destaca a gratuitidade do ensino que vai beneficiar cerca de 53.000 adolescentes e jovens em todo o país.

Do ano letivo 2016/2017 a 2019/2020, mais de onze mil bolsas de estudos para o ensino superior foram atribuídas.

Por isso diz, que as políticas de formação, qualificação e emprego estão definidas e são avaliadas através de onze indicadores com metas anuais cuja execução foi considerada muito positiva pelo Grupo de Apoio Orçamental (GAO) na sua última avaliação.

“Os resultados demonstram que estamos no caminho certo. Estamos a implementar políticas assertivas e a investir forte. Não estamos no melhor dos mundos porque ainda temos muito desemprego entre os jovens, muitas famílias em situação de pobreza e muitas dificuldades a vencer para proteger melhor o direito das crianças, das pessoas com deficiência e garantir a igualdade e equidade de género”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.