São Vicente: Sindicato e guardas prisionais acusam direcção da Cadeia Central de São Vicente de estar a fazer o trabalho dos grevistas

21/11/2019 15:34 - Modificado em 21/11/2019 15:34

A menos de 24 horas do fim da greve dos agentes prisionais, que termina às 08:00 desta sexta-feira, o presidente do Sintap e o delegado sindical denunciaram hoje alegados atropelos à lei dos serviços mínimos pela direcção da Cadeia Central de São Vicente.

O presidente do Sindicado dos Trabalhadores da Função Pública (Sintap), Eduardo Fortes, afirma que a cadeia central de Ribeirinha “atropelou” a lei da greve, não respeitando os serviços mínimos, inclusive com ameaças ao pessoal, chegando ao ponto, denunciou, de a direcção “chamar grevistas para trabalhar debaixo de ameaças” de faltas injustificadas, em caso de rejeição.

“Tivemos a informação de que a diretora esteve aqui na porta da cadeia, a recolher as bolsas dos reclusos” vinca Eduardo Fortes, referindo que o sindicato vai ficar atento a situações de represálias e pressão que os guardas prisionais de São Vicente poderão vir a sofrer no futuro.

Por sua vez, Idalécio Cruz, delegado sindical, assegura que a diretora contactou alguns guardas prisionais que estavam em casa, para efetuarem duas horas de trabalho, sob pena de serem punidos com falta injustificada. “É ilegal! Está a infringir a lei de greve. Temos prova disso e estamos dispostos a provar. Estamos a lutar pela nossa classe e não contra a direcção da cadeia” frisa.

A Cadeia Central de São Vicente, que conta neste momento com 46 agentes prisionais, tem tido uma adesão à greve que ronda os 60 por cento (%), devido a um contingente de guardas que foram recrutados recentemente e que não participaram na greve.

No entanto, a diretora da Cadeia da Ribeirinha assegurou a Rádio Pública que os denunciantes vão ter que provar as suas afirmações. Por outro lado, caso o Ministério da Justiça não der um parecer positivo sobre as propostas apresentadas pelos agentes prisionais, e conforme os mesmos, será realizada uma nova greve, que inclusive, já tem data marcada (24 de Dezembro 2019 a 01 de Janeiro de 2020).

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.