Olavo Correia aponta São Vicente como um futuro Centro Industrial de Cabo Verde

20/11/2019 00:26 - Modificado em 20/11/2019 00:26

O vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, acredita que a ilha de São Vicente tem potencial para ser um Centro Industrial de Negócios de Cabo Verde.

O Governo, segundo Olavo Correia, está a trabalhar através deste conceito, Centro Industrial de Negócios (CIN), que propõe um regime fiscal “altamente incentivador para que possamos captar empresas internacionais africanas, europeias e americanas, para que se possam domiciliar em São Vicente, criando assim postos de trabalho.

O governante lançou esta ideia, na sequência da conferência realizada no Mindelo, abordando o “Orçamento 2020: Desafios e Oportunidades”.

Conforme esclarece o vice-primeiro-ministro, é importante que o governo consiga atrair estas empresas e depois criar mercados para as Micro, Pequenas e Médias Empresas de Cabo Verde”.

Por outro lado, o Orçamento do Estado contempla a ilha de São Vicente com investimentos na saúde, na segurança social e também para que o sector privado possa ter meios de investir. “Temos cinco milhões de contos previstos no orçamento para que possamos ajudar a moldar o quadro de financiamento por parte do sector privado cabo-verdiano”.

Para o governante, “São Vicente é uma ilha que está sendo bem cuidada, estamos a investir. Temos desafios como é evidente, mas temos muita confiança em como temos condições para fazer desta uma ilha desenvolvida e repleta de oportunidades para os jovens sanvicentinos e de Cabo Verde”, reiterou Olavo Correia, adiantando investimentos públicos de “mais de um milhão de contos” para o Terminal de Cruzeiros, saúde, educação/formação profissional.

No entanto, esclarece que existem desafios, contudo é preciso que haja muita confiança para que as condições para fazer de São Vicente uma ilha mais desenvolvida, repleta de oportunidades para os jovens da ilha e de Cabo Verde.

Em relação à Zona Económica Especial, Olavo Correia anunciou que ainda este ano, a lei para a criação da Zona Económica Especial Marítima de São Vicente deve ir ao parlamento, para de seguida começar a sua implementação. “Já temos um quadro fiscal devidamente desenhado para que possa ser logo de seguida publicado e podermos avançar com a sua implementação”.

Questionado sobre quais são os maiores desafios do país, o governante diz que o problema está na atitude. “O problema de Cabo Verde não está no dinheiro ou financiamento. Está na mudança de atitudes. Temos que ser responsáveis, criativos, empreendedores. Ser ousados e confiar em Cabo Verde”, refere este governante que acredita que, “se fizermos isso e com as competências necessárias para concretizar a nossa ousadia teremos tudo para fazer de São Vicente e Cabo Verde um espaço de ousadia, felicidade e desenvolvimento”

  1. LEPPO

    Os Senhores Ministros agora estão virados para São Vicente, isto porque já se aproxima as eleições e sabem que o eleitorado desta ilha é importante.
    Pelo amor de Deus! Espero que o povo esteja atento a tudo isto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.