Familiares da jovem mãe cabo-verdiana que abandonou recém-nascido no lixo querem a guarda da criança

19/11/2019 00:17 - Modificado em 19/11/2019 00:17
| Comentários fechados em Familiares da jovem mãe cabo-verdiana que abandonou recém-nascido no lixo querem a guarda da criança

Já batizado de Salvador, a família de Sara Furtado, a jovem que abandonou o filho recém-nascido num ecoponto de Santa Apolónia, em Lisboa, quer ficar com a guarda do menino.

 De acordo com a Lusa, os familiares da arguida, que aguarda julgamento em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tires, garante ter vontade de ficar com o bebé e ter também condições financeiras para o educar.

Para isso, a família da sem-abrigo estará disposta a usar todos os instrumentos legais para ficar com a guarda da criança e até já terá iniciado contactos com as entidades consulares em Portugal e com instituições governamentais de Cabo Verde para tentar evitar que Salvador seja entregue a uma família de acolhimento, pelo menos a título definitivo.

A palavra final pertence ao Tribunal de Família e Menores que tomará uma decisão com base no superior interesse da criança.

Recorde-se que o Supremo Tribunal de Justiça decidiu que Sara devia permanecer em prisão preventiva, a medida de coação mais grave, porque “premeditou o crime”, não só ocultou a gravidez como levou um saco de plástico para depositar o recém-nascido e o material biológico no ecoponto. Horas depois de o ter feito, voltou a passar pelo local, visualizou o filho, mas nada disse ou fez para o salvar.

Por essas razões o juiz decidiu que a arguida devia permanecer detida até ser julgada por suspeitas da prática de um crime de homicídio na forma tentada.

A SIC Notícias adianta ainda que, nos próximos dias, será entregue no Tribunal Constitucional um pedido de nulidade da decisão do Supremo que manteve a jovem cabo-verdiana de 22 anos privada da liberdade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.