Cancro da próstata: ACLCC desafia os homens a se despirem do preconceito

18/11/2019 01:18 - Modificado em 18/11/2019 01:18

“Os homens devem-se despir do preconceito e a prevenirem contra o cancro da próstata dirigindo-se às estruturas de saúde”. Este é um apelo lançado há muito e por ocasião do Novembro Azul a mensagem é reforçada.

De acordo com dados divulgados, o cancro da próstata é “das maiores causas de morte por cancro no país” com uma média de 40/45 casos de mortes/ano, motivadas por esta enfermidade que ataca sobretudo os homens a partir dos 35 anos.

O vice-presidente da Associação Cabo-verdiana de Luta contra o Cancro (ACLCC) apela aos homens para se dirigirem, quanto mais cedo, aos serviços de saúde e submeterem-se ao exame da próstata.

Uma das prioridades da ACLCC é apostar na prevenção, socialização e informação porque o cancro precocemente detectado tem cura e por isso a associação, diz que os homens que têm “um certo receio e medo” de ir ao médico ou às estruturas de saúde, devem se despir deste preconceito e estarem cientes sobre a doença e a importância da detenção precoce.

Acrescento ainda, no âmbito do programa “Novembro Azul, que o cancro da próstata uma doença, que segundo afirma, afecta e causa sofrimento não só ao doente, como também a toda família.

 “O cancro da próstata não tem sintomas e quem tem historial na família deve se dirigir às estruturas de saúde, a partir dos 40 anos e para quem não tem historial deve ir ao médico a partir dos 50”, apela a associação  que tem estado a contribuir  para a sensibilização das pessoas, porque o cancro da próstata é um “problema sério” que afecta os homens, mas que também traz consequências para toda a família.

António Pedro Delgado aproveitou para apelar os homens a fazer o toque rectal e não esperar só pelas campanhas, uma vez que assegurou, todos os serviços de saúde têm possibilidade de fazer esse tipo de exame.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.