FIC 2019 gera expetativa no seio dos expositores

14/11/2019 01:54 - Modificado em 14/11/2019 01:54
| Comentários fechados em FIC 2019 gera expetativa no seio dos expositores

A XXIII Edição da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), que teve inicio esta quarta-feira, 13, e que se estende até sábado, 16 de Novembro, está a gerar expectativas satisfatórios nos expositores que querem expor da melhor forma possível as suas empresas, nesta que é considerada uma edição especial por ser a última nas instalações da Laginha.

Sob o lema “Cabo Verde, uma economia de circulação no atlântico médio” a FIC 2019 que conta com 88 expositores e 180 stands, sendo 69 por cento constituído por empresas de direito cabo-verdiano, arrancou com muita expetativa principalmente para os expositores cabo-verdianos, que este ano registaram um aumento de 11 por cento.

A Seri Lopes, empresa de confeções situada na Zona Industrial do Lazareto, é umas estreantes nesta edição da FIC, e por isso segundo Carlos Pereira, a empresa quer mostrar o que é a Seri Lopes e a sua capacidade de produção, com objetivo de ter um retorno, isto porque esperam expor da “melhor forma possível”. 

“Nos últimos anos fizemos visitas a Feira para vermos as exposições, e agora chegou o momento de sermos um dos participantes, isto num ano em que estas instalações recebem a última edição. Esperamos mostrar o que é a nossa empresa, o trabalho que é feito ao longo do tempo, como produzimos cada peça na confeção” sustentou o nosso entrevistado.

Na mesma senda, Ana Monteiro, Diretora dos Aspetos Ambientais Administrativos da Cabeólica, um cliente já habitual da FIC, afirmou ao NN que este é um evento “bastante importante” para o país, e uma oportunidade para a sua empresa estar sempre presente como uma empresa que entende ser “muito importante” para Cabo Verde. “O nosso objetivo ao participar na FIC é o de sempre, informar o público das nossas atividades” vincou.

Ana Monteiro salientou ainda que a Cabeólica, produtora de energias renováveis eólica no país, nos últimos anos cerca de 20% da energia elétrica consumida em Cabo Verde vem dos parques eólicos desta empresa.

Como pôde vislumbrar o NN, a animação era patente em todos os stands presentes no evento deste ano e que marca a última edição realizada nas instalações da Laginha, o que augura mais edição de excelência deste evento que retornará a São Vicente, após a realização da próxima edição na cidade da Praia, conforme revelou o primeiro ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.