Marcelo Rebelo de Sousa pede “compreensão” para cabo-verdiana que deixou bebé no lixo

10/11/2019 23:42 - Modificado em 10/11/2019 23:42
| Comentários fechados em Marcelo Rebelo de Sousa pede “compreensão” para cabo-verdiana que deixou bebé no lixo

O presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, pediu este domingo, a “compreensão humana” para com a situação da cabo-verdiana de 22 anos que deixou o seu filho recém-nascido numa lixeira em Lisboa, na passada terça-feira, 05.

“É importante que tenha a noção e a compreensão humana para o ambiente que rodeou aquele gesto e é bom que aquela criança, quando um dia crescer, não fique com a ideia de que a sua mãe fez aquilo se não por uma razão muito forte que tem a ver com condições dramáticas de vida social em que teve que tomar aquela decisão” afirmou o PR de Portugal à margem de declarações à imprensa portuguesa.

Sobre o caso, Marcelo Rebelo agradeceu ainda a posição das autoridades de Cabo Verde que se juntam a Portugal na preocupação de encontrar uma forma de defender uma pessoa que, em desespero total tomou uma decisão difícil.

De salientar que a mãe da criança encontra-se neste momento em prisão preventiva, após ter sido ouvida no Tribunal Criminal de Lisboa. Esta jovem está indiciada da prática de homicídio qualificado na forma tentada.

Segundo dados avançados pela imprensa portuguesa, Sara, a jovem cabo-verdiana que abandonou o bebé num contentor, vive em Portugal de forma ilegal há cerca dois anos, vivia da prostituição e não sabe quem é o pai da criança. A jovem vivia numa tenda junto ao rio Tejo, a cerca de 200 metros de onde foi encontrado o recém-nascido.

De acordo com a PJ, a mãe do recém-nascido, que não apresentava sinais de consumos de drogas ou perturbações mentais, agiu sozinha e nunca revelou a gravidez a ninguém, vivendo numa situação “muito precária na via pública”. O parto foi feito na rua, nas imediações do local onde foi encontrada a criança.

Já Dulce Rocha, presidente do Instituto de Apoia à Criança (IAC) citada pela Lusa, aponta que Sara estava numa situação de vulnerabilidade que a levou a abandonar o filho. Adiantando ainda “Esta mãe está muito sozinha, muito desesperada, sem apoio familiar, senão não tinha praticado o que praticou”, disse a magistrada, considerando que o crime em causa é “exposição ao abandono” e não tentativa de homicídio.

O recém-nascido foi descoberto por um sem-abrigo, ainda com vestígios do cordão umbilical. O bebé, saudável, recebeu cuidados hospitalares e poderá ter alta em breve.

A embaixada de Cabo Verde em Portugal já reagiu ao caso e anunciou que vai “recolher mais informações” e prestar todo o apoio necessário à jovem. 

“Em face da notícia tornada pública dando conta de uma jovem cabo-verdiana de 22 anos que terá abandonado o seu filho recém-nascido num contentor de lixo, a Embaixada de Cabo Verde em Portugal comunica que está a fazer diligências no sentido de recolher mais e melhores informações sobre o caso e prestar todo o apoio que se mostrar necessário”, comunicou numa nota divulgada nas redes sociais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.