Feito do ano: um amador no pódio da Maratona

7/11/2019 23:08 - Modificado em 7/11/2019 23:08

Um etíope de uma família de agricultores partiu entre a multidão, apanhou os profissionais, para surpresa geral foi terceiro e ganhou 54 mil euros.

Albert Korir, Geoffrey Kamworor e o número 443, o do espantoso Girma Gebre

Quando, por volta dos 35 quilómetros, o grupo da frente da Maratona de Nova Iorque se reduziu de 12 para cinco atletas, todos africanos, as interrogações surgiram: quem era aquele com o número 443, que se destacava entre os que corriam com o nome no dorsal, privilégio dos profissionais convidados?

A dúvida cresceu até ao final, quando o 443 abriu os braços para festejar o terceiro lugar, em 2h08m38s. Era Girma Bekele Gebre, um etíope amador que subitamente se transformava na surpresa do ano. O seu feito, num mundo das maratonas altamente profissionalizado, não tem precedentes.

Plataforma/O Jogo

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.