Cabo Verde revê salários de titulares de cargos políticos para racionalizar despesa

4/11/2019 14:09 - Modificado em 4/11/2019 14:09

O Governo cabo-verdiano pretende rever os salários dos titulares de cargos políticos em 2020, uma das formas de “racionalizar” as despesas com pessoal, que no próximo Orçamento terão um peso de 43% de todos os gastos do Estado.

A posição consta da proposta de lei do Orçamento do Estado de Cabo Verde para 2020, que começa este mês a ser discutida na Assembleia Nacional e que não prevê aumentos salariais na função pública no próximo ano.

“Ter-se-á em conta uma nova política de remuneração em toda a administração pública, inclusive os salários dos titulares de cargos políticos, de forma a racionalizar as despesas com o pessoal”, lê-se na proposta.

Apesar de não prever aumentos salariais na função pública cabo-verdiana, globalmente, a despesa pública com pessoal inscrita na proposta de Orçamento do Estado para 2020 vai subir quase 4%, face a 2019, para 22.638 milhões de escudos (204 milhões de euros).

O documento refere que as despesas com os funcionários públicos representam 11% do Produto Interno Bruto de Cabo Verde em 2020, as quais “têm registado aumentos significativos, agravando a rigidez do Orçamento do Estado”, representando um peso de 43% de todas as despesas correntes do país.

“Nesse quadro, tendo em vista a política orçamental (2020-2021), as despesas correntes e de caráter obrigatório terão de ser compensadas por redução efetiva de outras despesas da mesma natureza. Isso, com exceção dos compromissos assumidos ao nível dos recrutamentos em curso, processos de PCCS [Plano de Cargos, Carreiras e Salários] negociados e despesas com pensões”, alerta ainda a proposta de lei do Orçamento do Estado para 2020.

Globalmente, a proposta de Orçamento do Estado entregue no parlamento é de 73 mil milhões de escudos (663 milhões de euros), mais dois mil milhões de escudos (18 milhões de euros) do que o documento ainda em vigor, e prevê um crescimento económico de 4,8 a 5,8% do produto interno bruto (PIB), comparando com 2019.

Para o próximo ano económico, o Governo cabo-verdiano estima uma inflação de 1,3%, um défice orçamental de 1,7% e que a taxa de desemprego baixe dos atuais 12% para 11,4%.

Relativamente à dívida pública, o executivo prevê uma redução do peso para 118,5% do PIB durante o próximo ano económico, menos 1,5 pontos percentuais em relação a este ano (120%).

Por Lusa

  1. duglas

    O orçamento nao devia aumentar mas sim baixar ou no maximo manter em relação ao de 2019. O Estado gasta muito e nao faz nada de jeito em real proveite das populações mais desfavorecidas.

  2. nocente

    governo esta a descutir salarios dos politicos em vez de mitigação da miseria no mundo rural e centros urbanos de maior concentrasao de habitantes.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.