Mural de Cesária Évora em causa: Obra do CCP vai avançar

22/10/2019 23:30 - Modificado em 23/10/2019 10:24

O Centro Cultural Português do Mindelo diz que não foi consultado sobre a realização do mural de Cesária nas traseiras da Aliance Francaise, ao lado do espaço onde será edificado as novas instalações do Centro Cultural Português do Mindelo e do escritório consular e que será edificada até finais de 2021.

Abordado sobre a temática, o diretor do Centro Cultural Português, diz que não é do foro da direcção do centro se posicionar sobre o assunto e que cabe à Embaixada de Portugal quaisquer esclarecimentos. No entanto, afirmou que em nenhum momento foram consultados sobre a realização desta obra de arte, que com a construção do edifício, pode ficar em causa.

A questão que ora se levanta, é que se obra que foi inaugurada este domingo, no lado norte da chamada Praça Dom Luís, coloca em causa a construção do espaço, já que a Cooperação Portuguesa tem um prazo máximo de três anos, para a construção do seu Centro Cultural.

De recordar que em janeiro deste ano, 2019, foi assinada uma adenda ao protocolo de cedência do terreno, que tinha sido rubricado em Junho de 2010, pelo presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, e pelo presidente do Instituo Camões (IC), Luís Faro Ramos.

O processo vem desde meados de 2010. Em Julho desse ano, o protocolo estipulava que o edifício deveria ser construído em dois anos.

Hoje, oito anos e meio depois Luís Faro Ramos, Presidente do Instituto Camões, assume o compromisso de respeitar o novo prazo.

O terreno onde será edificado o Centro Cultural Português e o Consulado de Portugal mede 425 metros quadrados e fica nas traseiras da Biblioteca Municipal.

 O investimento, a ser feito nos próximos três anos, ronda os 700 mil euros.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.