PR diz que a juventude está sedenta de oportunidades, pois querem ver os seus problemas resolvidos a curto prazo

17/10/2019 16:53 - Modificado em 17/10/2019 16:53
| Comentários fechados em PR diz que a juventude está sedenta de oportunidades, pois querem ver os seus problemas resolvidos a curto prazo

Para o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, presidir o ato de abertura do I Fórum Nacional da Juventude, sob o lema “Preparar os Jovens para o Mercado Global”, um evento voltado para a juventude, constitui motivo de satisfação, já que desde que foi eleito Presidente da República, em 2011, “os assuntos da juventude têm-me merecido uma especial atenção, facto que se tem traduzido na realização, de largas dezenas de encontros com os nossos jovens provenientes de vários estratos sociais, em todos concelhos do país”.

Portanto, no seu dizer, a importância deste I Fórum, não descurando outros relevantes objectivos inerentes ao mesmo, reside no facto de se propor uma maior aproximação entre os jovens, as suas organizações e os decisores políticos, propiciando, desse modo, a institucionalização de um espaço de diálogo que se pretende estruturado e horizontal, enquanto meio e instrumento para a permuta de conhecimentos e informações, mas também de produção de ideias e propostas.

“É fundamental a institucionalização de espaços de discussão e de concertação como este, para que os jovens, as suas opiniões e suas preocupações possam ser considerados na definição das políticas públicas que a eles se destinam”.

O chefe do Estado considera que “não será possível a solução imediata de todos os problemas que afectam os nossos jovens” é essencial que políticas consistentes sejam adoptadas no sentido de garantir o seu entusiasmo e esperança no futuro e a possibilidade de estruturarem um projecto de vida saudável para si e para a Nação.

E que seja fundamental que todas as acções, públicas e privadas, confluam no sentido do respeito aos direitos dos jovens.

Por isso, é da responsabilidade das altas esferas pública, o governo e a presidência da República, criar as condições para que haja oportunidades reais e equitativas de participação na vida económica, social e política do país para todos os jovens, oportunidades essas que deverão estar estribadas num desenvolvimento do país que seja, a um tempo, sustentável, aberto ao intercâmbio permanente com o mundo e, essencialmente, democrático.

Neste sentido, vê este I Fórum Nacional da Juventude como um marco importante para que uma tal dimensão das políticas públicas destinadas aos jovens assuma preponderância e visibilidade maiores no contexto governativo.

A juventude está sedenta de oportunidades, pois quer ver os seus problemas resolvidos a curto prazo, pelo que só compreenderá a lógica do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) quando sentir que há correspondência directa com a melhoria das suas condições de vida e de realização pessoal.

Todavia, no que se refere à política do fomento do empreendedorismo nacional, importa reconhecer a dinâmica que o Governo tem imprimido a este sector, através, nomeadamente, da Pro-Empresa, com a concessão de avales junto à banca, integrada numa política de incubação e de suporte das ideias de negócios geradas por jovens potenciais empreendedores.

Sabemos que as principais aspirações da juventude são as mesmas em qualquer parte do mundo, não obstante as repostas aos seus anseios e às suas necessidades dependerem, naturalmente, de vários factores e condicionalismos, acrescentou.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.