António Monteiro “A UCID não aprova este Orçamento de Estado para 2020 pelos seus elevados riscos e não é prudente”

17/10/2019 13:37 - Modificado em 17/10/2019 13:37

O presidente da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), António Monteiro, afirmou hoje, que o seu partido não aprova o Orçamento de Estado apresentado pelo Governo do MpD, por entender que de “maneira nenhuma” se irá conseguir atingir a meta dos 45 mil postos de trabalhos e os 7% de crescimento estabelecidos pelo Governo.

O líder da terceira força política em Cabo Verde, em conferência de imprensa, sustentou que é grave quando o Governo diz que vai conseguir chegar aos 7% de crescimento, isto quando o Orçamento para 2020, prevê um crescimento à volta dos 5,8%.

“A UCID, com este Orçamento Geral de Estado, vê ir por água baixo a esperança que o povo depositou no Governo quando este, ainda em campanha eleitoral, prometera um crescimento médio anual de 7%. A UCID não aprova este Orçamento de Estado para 2020 pelos elevados riscos e não é prudente” frisou o líder do partido da oposição.

Para António Monteiro há um “falhanço redondo” na assunção deste compromisso que seria “muito importante” para a criação de riqueza no país e consequentemente garantir os 45 mil postos de trabalhos. “Outro compromisso que este Governo volta a não assumir, quando propõe no OGE de 2020 reduzir a taxa de desemprego em somente 0,8% passando dos atuais 12,2% para 11,8%”, números da UCID.

Neste âmbito, o mesmo diz não acreditar no Governo quando este assegura que é possível atingir o crescimento médio anual de 7%, quando o OGE aponta para um intervalo que vai até os 5,8% é no “mínimo querer tapar o sol com a peneira ou querer deitar poeira nos olhos dos cabo-verdianos”.

Um dos pontos graves deste orçamento, segundo Monteiro, é que não há menção de qualquer aumento salarial, não obstante o somatório das duas inflações, 2019 e 2020 equivaler a 2,8%. “Ao não prever o aumento salarial para 2020, o Governo volta a condenar os funcionários de empresas públicas e privadas, institutos públicos e outras instituições a mais um ano sem aumento salarial, dificultando ainda mais a vida a estes cidadãos, muitos dos quais não tem sentido nos bolsos, há muito tempo, o que é ter mais algum tostão proveniente da atualização salarial” adiantou o líder da UCID.

Os idosos, também, não são esquecidos por António Monteiro. Este diz-se convicto de que o OGE de 2020, dará a cobertura ao aumento das pensões de sobrevivência e de reforma através do sistema contributivo do INPS. Nisto, Monteiro, acrescentou que ficou o compromisso por parte do Governo, aquando da atualização da pensão de sobrevivência no OGE de 2019, que no OGE de 2020 se retomaria o aumento para 7500$00, possibilitando assim a estas pessoas terem um pouco mais de recursos financeiros para a melhoria da qualidade de vida.

“Para um país que segundo os governantes tem muito dinheiro e a despontar como país emergente é o mínimo que se pode fazer para aqueles que a vida toda trabalharam para o engrandecimento de Cabo Verde. É uma questão de justiça social e solidariedade” considerou Monteiro, rematando que por exemplo, se deve aumentar a pensão dos pensionistas do sistema contributivo para os 10.000$00 e num futuro igualar este ao salário mínimo nacional.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.