Augusto Neves: “A UCID terá que ir a Casa para Todos de Ribeira de Julião2 para explicar às famílias o porque de não merecerem as habitações atribuídas”

7/10/2019 15:08 - Modificado em 7/10/2019 15:08
| Comentários fechados em Augusto Neves: “A UCID terá que ir a Casa para Todos de Ribeira de Julião2 para explicar às famílias o porque de não merecerem as habitações atribuídas”

O edil da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, afirmou hoje, no Mindelo, que a UCID e os seus responsáveis terão que ir ao complexo Casa para Todos de Ribeira de Julião2, para explicar às famílias o porque de não merecerem as habitações atribuídas. Neves assegurou que a atribuição de habitação de interesse social é um trabalho “sério e transparente”, que se inicia no serviço social da autarquia.

Em resposta às acusações da UCID, proferidas na sexta-feira, 04, pelo seu vice-presidente João Santos Luís, onde assegurou ter havido “falta de transparência” na atribuição de um conjunto de habitações do “Casa para Todos”, o edil mindelense, em conferência de imprensa realizada no Salão Nobre da CMSV, referiu que a UCID está a lançar “asneira gratuita e pura mentira” para desinformar a população.

“A UCID e os seus responsáveis terão que ir a Ribeira de Julião2 e explicar às famílias que foram contempladas com habitação de interesses social, o porque delas não merecerem as habitações atribuídas. Esse é que é o nosso principal fundamento”. O mesmo acrescenta “É uma ‘sem-vergonhice’ da UCID e dos seus responsáveis, porque ao terem conhecimento da atribuição feita, no primeiro fim-de-semana já lá estavam marcando reuniões com os novos moradores. E agora a UCID na comunicação social acha que estas famílias não merecem” salientou Neves.

 O autarca mindelense esclareceu que o processo de atribuição das moradias é “deliciado e demora muito tempo”, porque das habitações disponíveis e existem “milhares de pessoas” com necessidade e à espera, numa ilha, sintetizou, “com um défice habitacional de perto de oito mil fogos, existindo cerca de 7 mil cartas entregues na edilidade à espera de uma habitação social”.

“A atribuição é feita através do cadastro social da câmara e do regulamento de atribuição. Há muitos anos que nós temos um regulamento de atribuição. Portanto falar de rasgar a lista é pura ignorância de quem não entende nada” referiu Neves, mostrando os processos das famílias que a edilidade tem em mãos, sobre como é feito o processo de seleção e atribuição das casas.

Neves esclareceu que o serviço social esteve mais de dois anos a trabalhar nos processos, num trabalho “árduo e sério” mas feito com “muita responsabilidade e transparência”, sobre a entrega das cerca de uma centena de habitações da Classe A do Programa Casa para Todos da Ribeira de Julião2. Nisto, Neves esclareceu que a seleção é feita pelo serviço social e não pelo presidente, pois é este serviço que apresenta a proposta à câmara e ao presidente.

O autarca vincou que fizeram uma “boa atribuição” pois trata-se de famílias de “muita necessidade” lembrando que a necessidade era tanta que “muitas famílias” foram morar nas novas casas sem energia e água, mas que já estão a proceder à ligação, já que se trata de um contrato entre o inquilino e a Electra e não com a Câmara Municipal.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.