Russo processa Apple por o ter “empurrado” para a homossexualidade

3/10/2019 13:52 - Modificado em 3/10/2019 13:52

Homem pede indemnização por causa de uma aplicação que acusa de o ter “empurrado” para uma relação homossexual.

Um homem de nacionalidade russa recorreu aos tribunais de Moscovo para processar a representação da Apple no país, exigindo um milhão de rublos (14 mil euros) de indemnização por danos morais causados pela empresa, por tê-lo “conduzido” à homossexualidade.

O queixoso, que é identificado como D.E. Razumilov, descarregou da AppStore do seu iPhone uma aplicação para transação de criptomoedas. No verão passado, explica o Moscow Times, uns “homens desconhecidos” enviaram 69 GayCoins para a sua conta, com a mensagem “não julgues sem experimentar”.

De acordo com os documentos judiciais, publicados pelo jornal Govorit Moskva, o tribunal de Presnensky deu seguimento à queixa por “incitar à homossexualidade”. O caso será avaliado de forma preliminar no dia 17 de outubro.

Razumilov exige um milhão de rublos à representação da Apple na Rússia porque, na sua opinião, a gigante tecnológica empurrou-o “de forma manipuladora” àquilo que no país é descrito como “orientação sexual não tradicional”, algo que lhe causou “sofrimento moral e danos mentais”. 

“Eu realmente pensei ‘como posso julgar uma coisa sem saber o que é?’. E decidi experimentar uma relação homossexual”, explicou o homem, conforme descreve o processo. “Dois meses depois estou envolvido numa relação íntima com uma pessoa do mesmo sexo e não consigo sair. Tenho um namorado fixo e não sei como explicar isto aos meus pais”, continua a queixa.

Por Notícias ao Minuto

  1. Fernando Assis

    Aproveita de um sábado à tarde e pendura uma corda no pescoço.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.