Augusto Neves: Ocean Race em São Vicente mostra a grande dimensão da ilha

24/09/2019 13:34 - Modificado em 24/09/2019 13:34

Mindelo irá receber a primeira paragem de sempre da Regata “The Ocean Race”, na África Ocidental, sendo o segundo país africano a ter tal privilégio, nesta que é conhecida como uma das provas mais duras por equipas neste tipo de regata. A Baía do Porto Grande, São Vicente, é a escolhida para receber o primeiro “stop over” da edição 2020/2021, o que para o edil sanvicentino configura-se numa honra para o país.

Em conferência de imprensa, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, diz que a paragem desta regata em São Vicente, é uma oportunidade para a economia local e para o desenvolvimento do país, pois vai trazer consigo um grande número de pessoas que chegam e partem depois da regata. Sendo Mindelo uma das 8 cidades escolhidas, o que mostra a grande dimensão da ilha de São Vicente.

“Privilegiado pela localização geográfica, Cabo Verde tem uma forte tradição marítima e também mostra grande interesse e progresso em iniciativas de sustentabilidade, o que a torna uma opção natural para o Ocean Race”, argumenta Augusto Neves.

Para o Secretário de Estado a Economia Marítima, Paulo Veiga, esta é uma aposta na Economia Marítima, que o atual governo tem vindo a fazer e que ganha aqui uma dimensão mundial, mas também uma “enorme oportunidade e responsabilidade nacional”.

Brevemente o governo vai assinar o contrato e constituir uma equipa para rececionar o evento que é, conforme Paulo Veiga, a “fórmula um dos oceanos”, e que terá grande impacto na mídia e nas plataformas digitais.

Duas classes competirão nesta edição, com a adição da classe IMOCA 60 de alta tecnologia, adicionando design e elemento técnico e a frota VO65 de design único competirá na sua terceira volta do planeta em 2021, com enfase na competição, na juventude e na diversidade de tripulantes. A regata terá como base o Porto Grande, em Mindelo, o que segundo Augusto Neves representa “uma excelente oportunidade para mostrar o que de melhor temos a oferecer e é um grande salto para a nossa economia marítima”

A escolha para receber a regata “The Ocean Race” 2021-2020 é uma oportunidade estratégica de posicionar Cabo Verde enquanto destino turístico de alto nível. “A escolha, acredita-se deve-se à sua posição geográfica, e também por ser conhecido como um país “sério, estável, seguro e mundialmente conhecido” a nível cultural, e eleito como destino privilegiado na África Ocidental no sector do turismo.

Considerado o evento desportivo profissional mais longo e mais difícil do mundo, o desafio mais difícil da equipa de vela e um dos três grandes eventos mundiais do desporto, seguido dos jogos olímpicos e copa de futebol.

De acordo com a organização, são 126 dias de corridas, distribuídas em 11 etapas e cerca de 2,5 milhões de pessoas visitaram as comunidades de corrida durante o evento de 2017-2018, experimentando em primeira mão mais ação. “Milhões de pessoas seguiram o movimento em plataformas digitais, televisão e através dos noticiários, à medida que a corrida estabelecia novos marcos para a cobertura internacional”.

Em 2017-2018, as partes interessadas na corrida, as cidades que receberam as equipas, foram fundamentais para o sucesso do plano de sustentabilidade, e a poderosa mensagem sobre o plástico que afeta os mares influenciou diretamente as mudanças nos modelos de negócio e nas políticas de governos como resultado direto da corrida.

Elvis Carvalho

  1. Regata

    Esperamos que desta vez este Presidente e sua equipa recebam a regata pois as anteriores que cá estiveram nunca foram recebidos por este Presidente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.