Presidente e treinador do Mindelense desejam “toda a sorte” a Papalele

21/09/2019 18:07 - Modificado em 21/09/2019 18:07
| Comentários fechados em Presidente e treinador do Mindelense desejam “toda a sorte” a Papalele

O jovem prodígio ex-Mindelense, Hélio Silva, ou, simplesmente, Papalele, um dos ícones do futebol cabo-verdiano da atualidade, que encontra-se neste momento em Portugal para tentar uma carreira profissional, é sem dúvidas a principal “baixa” para esta nova época desportiva. Mas tanto o presidente do clube como o treinador desdramatizam o cenário da saída do jogador, a quem auguram “toda a sorte”.

Lançado na época 2016/17 por Rui Alberto Leite, na equipa principal, Papalele não precisou de muito tempo para se afirmar como uma das referências atacantes nestes últimos anos. Nesta época desportiva levou logo para casa, os prémios individuais de melhor marcador do Torneio de Abertura e do Campeonato Regional.

Em tão poucos anos o jogador conseguiu escrever o seu nome no futebol cabo-verdiano, que terminou esta época desportiva da melhor forma possível, com a conquista do título de campeão nacional de Cabo Verde, sendo considerado o melhor jogador da prova. Diga-se de passagem que o jogador saiu pela porta grande de um clube que lhe abriu a porta para o sucesso.

Papalele que rapidamente conquistou nova alcunha nas bancadas do Adérito Sena “Papagolo” procura lançar a sua carreira profissional em Portugal, tendo deixado saudades nos adeptos e dirigentes do clube mais titulado de Cabo Verde.

Durante a apresentação da equipa para a nova época desportiva, uma pergunta que não poderia fugir ao presidente do clube e ao treinador era como a equipa iria se readaptar-se ao pós Papalele, pois desde que estão a frente do clube nunca viram ninguém marcar tantos golos como é o caso deste jogador, que agora partiu além-fronteiras.

Nisto o presidente, Daniel Jesus, respondeu que não vê a saída de Papalele como sendo “uma perda”, pelo contrário é um “ganho e muito para ele e a sua família” e por isso resta apenas “desejar que tudo lhe corra bem”.

Para Daniel Jesus, o Mindelense nunca ficou refém da saída de nenhum jogador, ou treinador, explicando que o clube é uma “nação onde com muitas saídas e entradas” e o trabalho que é feito permite “colmatar todas as ausências”.

“É verdade que é um jovem que marcou muito depressa a história do Mindelense e de São Vicente no futebol e esperamos que tudo lhe corra de feição, porque tem tudo para singrar e a nossa esperança é vê-lo daqui a dois anos como o principal avançado da seleção nacional.

O treinador Rui Leite, que confiou e lançou o jovem na equipa, quando este tinha 18 anos, também augura boa sorte ao jogador nesta sua nova caminhada. “Papalele é um jovem a quem desejamos boa sorte. Mesmo sendo muito jovem deu muito ao Mindelense. Mas sabemos que no clube já passaram grandes jogadores. O Mindelense é um clube grande, de onde saem e entram sempre bons jogadores. Toda a sorte para ele nesta sua nova etapa” sustentou o técnico encarnado que parte para mais uma época à frente do clube.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.