Doze artistas representam Cabo Verde na 1ª edição da Bienal de Luanda, “Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz”

18/09/2019 14:27 - Modificado em 18/09/2019 14:27

Cabo Verde marca presença na 1ª Edição da Bienal de Luanda, “Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz”, a decorrer em Luanda, Angola, de 18 a 22 de setembro de 2019 com 12 artistas, numa participação que conta com o apoio do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC).

São artistas nacionais com diferentes competências culturais e sociais, desde a música (Alberto Koenig, Dieg, Fattú Djakitté, Nelly Cruz), artesanato (Matilde Gomes), artes plásticas (Kiki Lima), fotografia, videogames (Ivandro Gomes), design (Anayka Bettencourt), artes cénicas (Vera Cruz), poesia urbana (Indzayz), cinema e audiovisual (Tambla) e, ainda, Queila Fernandes.

A Bienal de Luanda, “Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz” é uma plataforma para promover a diversidade cultural e a unidade africana, com foco principal na promoção do Movimento Pan-Africano para uma Cultura de Paz e Não-Violência.

A bienal é uma oportunidade de reflexão e intercâmbio cultural entre jovens africanos e da diáspora. Ao todo serão cinco dias de troca de ideias em fóruns, festivais e eventos.

Este é um encontro que se pretende realizar a cada dois anos, reunindo atores e parceiros na prevenção da violência e dos conflitos e a consolidação da paz, tem como foco a juventude, paz, segurança, criatividade, empreendedorismo e inovação.

O encontro acontecerá também em Benguela, sob o lema “Fórum das Mulheres para a Cultura da Paz em África. Os objetivos centram-se na mobilização das mulheres africanas para uma Cultura de Paz e no lançamento da respetiva rede.

Egipto, Marrocos, Mali, Nigéria, República Democrática do Congo, República do Congo, Brasil, Itália, Etiópia, Quénia e Ruanda são os países que se juntam a Cabo Verde como convidados desta 1ª Edição da Bienal de Luanda.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.