Enapor assina contrato com empresa francesa para Assistência Técnica e Fiscalização das Obras do Terminal de Cruzeiros do Mindelo

17/09/2019 00:39 - Modificado em 17/09/2019 00:39

A Empresa Nacional de Administração dos Portos (Enapor), fez saber que no âmbito do concurso Público Internacional Para Consultoria e Fiscalização das Obras do Terminal de Cruzeiros do Mindelo, a empresa francesa Artelia Eau & Environnement, foi a selecionada para a Assistência Técnica e Fiscalização das Obras.

De acordo com o anúncio publicado na página da empresa na internet, no âmbito do concurso Público Internacional para Consultoria e Fiscalização das Obras do Projecto Terminal de Cruzeiros do Mindelo, participaram 21 empresas.

A empresa vencedora, conforme a Enapor, destacou-se por ser multidisciplinar, que atua em áreas como Consultoria, Engenharia, Gestão de Projetos em diversas vertentes nas quais encontram-se os transportes e ambiente.

O contrato assinado entre as duas empresas, contempla três fases, sendo que a primeira consiste na apresentação, no prazo de 60 dias, do dossier de lançamento do concurso de seleção do empreiteiro. Já na fase dois, proceder-se-á à fiscalização dos trabalhos de construção do Terminal de Cruzeiros. Por fim, a última fase consiste na contratação de consultoria especializada para o Desenvolvimento do Destino de Turismo de Cruzeiros, com o objetivo de desenvolver e implementar um Plano de Desenvolvimento do Destino Turístico de Cruzeiros para as ilhas de São Vicente e Santo Antão.

A missão do consultor é auxiliar o Governo, através dos ministérios da Economia Marítima e das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação e a Enapor, na implementação do projeto do terminal de cruzeiros, com base na prestação de serviços em áreas de revisão e atualização do projeto técnico de base, plano de desenvolvimento do destino de cruzeiro e aquisições públicas, entre outros.

A 15 de julho do ano passado, o Governo e o Fundo Orio, da Holanda, rubricaram o acordo de donativo, a fundo perdido, no montante de 10 milhões de euros, para a construção do Terminal de Cruzeiros, no Porto Grande de São Vicente, orçado na globalidade em 29 milhões de euros.

Desse montante, 16 milhões correspondem ao financiamento já garantido pela OFID, uma instituição de financiamento ao desenvolvimento, criada para promover o progresso social e económico no mundo, cujo acordo foi rubricado, em Washington, no mês de abril de 2018, sendo que o restante financiamento corresponde à contrapartida nacional.

Desta forma, as obras do Terminal de Cruzeiros projetado para São Vicente poderão arrancar ainda no decorrer deste ano.

De realçar que o projeto do Terminal de Cruzeiros é tido como muito importante para a economia de Cabo Verde, no entendimento do Governo, pois o mesmo vai ser naturalmente uma zona de expansão do Porto Grande, que se encontra neste momento bastante congestionado com a atividade da pesca e de movimentação da carga convencional, entre outros fatores.

O terminal de cruzeiros projetado para o Porto Grande de São Vicente terá dois berços de 400 e 350/300 metros, respetivamente, uma profundidade máxima de 11 metros e será servida por uma gare marítima para passageiros, uma vila turística junto à marginal que vai ter lojas, free-shops, restaurantes, bares, pequenos museus e souvenir.

Os números avançados indicam que, atualmente, só em São Vicente, os navios de cruzeiros deixam mais de 4 milhões de euros/ano, e que os turistas gastam entre 30 a 40 euros por pessoa, e com uma margem de progressão “muito favorável” por se tratar de um negócio que “cresce todos os anos” a nível mundial.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.