Transumância e conflitos intercomunitário preocupam os deputados da CEDEAO

13/09/2019 12:57 - Modificado em 13/09/2019 12:57

Arrancou esta quinta-feira, 12, em Monróvia, capital da Libéria, o Fórum Parlamentar da CEDEAO, com participação de todos os deputados de Cabo Verde, subordinado ao tema: “Transumância e Conflitos Intercomunitário na Região da CEDEAO”. Trata-se de uma iniciativa do parlamento comunitário que visa fortalecer e capacitar os deputados dos 15, sobre o fenómeno que opõe pastores e agricultores na zona de Sahel e na Sub-região da África Ocidental.

Durante a cerimónia de abertura que contou com as presenças da Vice-presidente da Libéria, Jewel Taylor, do Presidente da Câmara dos Representes, do Presidente do Senado, Albert Chie, da Ministra dos Negócios Estrangeiros, Marwe Diggs e do corpo diplomático acreditado nesse país, o Presidente do Parlamento da CEDEAO, Moustapha Cissé Lo afirmou, a propósito da transumância, que na última década, a sub-região foi fustigada por várias crises.

De acordo com o chefe do Parlamento Comunitário, o mais preocupante conflito que assolou os países da CEDEAO, nos últimos tempos é, justamente, o terrorismo galopante em muitos Estados-Membros, citando o caso de agricultores e pastores, que vem atacando toda a sub-região.

Assim, para fazer face a este fenómeno que periga o desenvolvimento dos 15, Cissé Lo lembrou que, a 26 de abril de 2018, em Abuja, foi realizada um Conselho de Ministros responsáveis ​​pelas áreas de Segurança, Agricultura e Pecuária, precedida de uma reunião com os especialistas da CEDEAO sobre conflitos entre agricultores e pastores. Apesar de esforços das instituições da CEDEAO, com apoio da comunidade internacional, Cisse Lo reconheceu que os conflitos intercomunitários vêm agravando, na sub-região. 

Transumância e Conflitos Intercomunitário

O Presidente da Câmara dos Representantes da Libéria, Bhofal Chambers disse, por seu turno, que será muito difícil combater os conflitos entre agricultores e pastores na sub-região da CEDEAO, se não se perceber que este fenómeno é de índole cultural e que, como tal, requer uma estratégia acertada e assente em análise dos traços culturais desses povos.

Bhofal Chambers aproveitou, ainda, a ocasião para explicar aos presentes, a diferença entre a transumância e conflitos intercomunitário. Transumância, explica aquele político, é o movimento de pessoas com seus animais ou gado de um lugar para outro em busca de comida e melhores condições de vida, enquanto que conflitos intercomunitários lidam com a incapacidade das pessoas em coexistirem com diversidades sociais e culturais do outro.Recorde-se, que a sessão dos trabalhos do Fórum Parlamentar da Libéria foi retomada à tarde, sob a presidência do vice-presidente do Parlamento da CEDEAO, Orlando Dias, com apresentação de três temas: Quadro Jurídico da CEDEAO sobre a Transumância e Gestão Intercomunitária de Conflitos: Estado de Implementação e Papel da CEDEAO; Novos Desafios Relacionados com a Transumância na Região: Transumância, Conflitos Intercomunitários, Terrorismo e Proliferação de Armas Ligeiras e por último, a Proteção da Saúde Animal na Prática da Transumância entre os Estados Membros da CEDEAO.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.