Dinheiro enviado pelos emigrantes cabo-verdianos representa cerca de 12 por cento do PIB de Cabo Verde

8/09/2019 23:47 - Modificado em 8/09/2019 23:47

As remessas em dinheiro que os emigrantes cabo-verdianos enviam para Cabo Verde tem aumentado significativamente nos últimos anos, sendo que em 2018 entraram no país 21 milhões de contos em remessas.

As remessas dos emigrantes cabo-verdianos ultrapassa o investimento direto estrangeiro, e se a conjuntura económica continuar positiva na Europa e na América, as remessas poderão subir ainda mais. Neste momento o dinheiro enviado para Cabo Verde, por parte dos emigrantes, de acordo com o Expresso das Ilhas, representa cerca de 12 por cento do PIB do país, o que o torna naquele que mais depende de remessas, principalmente, dos seus emigrantes espalhados pela Europa e América.

Dados da BCV, dão conta que em 2018, os valores das remessas atingiram os 21 milhões de contos, representando um aumento de 6% em relação ao ano 2017, e que de ano para ano vai aumentando gradualmente. Portugal com 5 milhões e 710 mil contos e França com 4 milhões e 595 mil contos, são os países com maior volume de dinheiro enviado para Cabo Verde.

As remessas dos emigrantes para Cabo Verde têm tido um papel importante para o desenvolvimento do país em várias áreas. Da Saúde à Educação, passando pela melhoria das condições de habitabilidade das suas famílias, nas atividades económicas e sendo assim, na criação de riqueza e de mais postos de trabalho, o que ajuda na melhoria e no aumento do poder económico.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.