Ex-bastonário da Ordem dos Advogados com TIR e proibido de sair do país

6/09/2019 01:32 - Modificado em 6/09/2019 01:32

O Tribunal da Praia libertou, na noite de ontem, o ex-bastonário da Ordem dos Advogados de Cabo Verde, detido no âmbito de uma investigação a alegados crimes na aquisição e venda de terrenos na Praia, ficando sob TIR e proibido de sair do país.

De acordo com informação divulgada ao início da noite de ontem pela Polícia Judiciária, que conduziu a operação que levou à detenção, na quarta-feira, de Arnaldo Silva, o Tribunal aplicou ao advogado, como medidas de coação após primeiro interrogatório judicial, a “interdição de saída e proibição de contacto” com os restantes visados na investigação.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Cabo Verde divulgou que a detenção do ex-bastonário da Ordem dos Advogados, Arnaldo Silva, está relacionada com alegados crimes na aquisição e venda de terrenos na Praia, processo com mais seis suspeitos.

Em comunicado, a PGR refere que decorre uma investigação a “indícios de ilícitos criminais relacionados com a aquisição e venda de terrenos na cidade da Praia”, os quais são “suscetíveis de integrarem os crimes de burla qualificada, falsificação de documentos, organização criminosa e lavagem de capitais”.

“Para além do detido, as diligências de instrução até agora realizadas permitiram a identificação de mais seis suspeitos, todos pessoas singulares”, esclarece a PGR de Cabo Verde, sublinhando que o processo continua em instrução e em segredo de justiça.

Arnaldo Pina Pereira Silva foi bastonário da Ordem dos Advogados de Cabo Verde durante dois mandatos de três anos, entre 2006 e 2012.

De salientar que Arnaldo Silva foi Secretário Adjunto do Primeiro-ministro Carlos Veiga, na década de 90

A operação envolveu buscas aos escritórios e residência do advogado em causa, na Praia, as quais foram lideradas por um juiz e acompanhadas por dois magistrados do Ministério Público e pela bastonária da Ordem dos Advogados de Cabo Verde, acrescentou a Polícia Judiciária.

Com Lusa

  1. Adilson

    Se fosse um coitado não ficava sobre “TIR” mas sim sobre “BOMBA”(CADEIA)

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.