Estudantes cabo-verdianos órfãos podem candidatar-se ao programa sobre liderança “Iniciativa Ashinaga África 2020”

4/09/2019 15:51 - Modificado em 4/09/2019 15:51

Os estudantes cabo-verdianos órfãos podem candidatar-se a uma bolsa de estudos do programa sobre liderança “Iniciativa Ashinaga África 2020”, concedido pela da Organização não Governamental japonesa Ashinaga.

Os estudantes cabo-verdianos órfãos podem candidatar-se a uma bolsa de estudos do programa sobre liderança “Iniciativa Ashinaga África 2020”, concedido pela Organização não Governamental japonesa Ashinaga.

De acordo com informações veiculadas no site da instituição na Internet, a ideia é apoiar estudantes órfãos com vontade de estudar que se comprometem em regressar para os seus países para “gerar mudanças e desenvolvimento” para as respectivas comunidades.

A missão da Iniciativa Ashinaga África é contribuir com o papel de expansão na África Subsaariana no desenvolvimento global, por meio do aumento de acesso ao ensino superior no exterior, oferecendo apoio financeiro integral para estudar no exterior (equivalente a licenciatura), inclusive propinas escolares, moradia, custo de viagem e outras despesas necessárias.

Para ser beneficiário, o estudante candidato precisa ter perdido um ou ambos os pais, isto é, estar na condição de órfão, ter completado o 12º ano de escolaridade em até dois anos e ter excelência académica.

No caso dos países lusófonos, os estudantes de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe têm até o dia 30 deste para apresentarem a sua candidatura.

A “Iniciativa Ashinaga África 2020” é um programa de liderança académica, lançado em 2014 e até hoje já beneficiou cerca de 150 estudantes, e destes apenas 15 são dos países lusófonos.

Ashinaga é uma ONG japonesa que dá apoio e proporciona educação aos estudantes órfãos do mundo inteiro.

Oferece apoio financeiro e emocional a crianças e jovens que perderam um ou ambos os pais.

Com uma história que se estende por mais de 50 anos, a organização já apoiou mais 100 mil órfãos japoneses, e em 2001 expandiu a sua actividade com a criação de uma nova filial no Uganda focada principalmente no apoio aos órfãos do HIV.

Em Sapo Notícias

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.