Depois de casa roubada… recrutamento vai ser mais rigoroso

19/08/2019 00:21 - Modificado em 19/08/2019 00:21

O assalto à mão armada perpetuado no bairro de Cidadela, na cidade da Praia, por quatro militares, obriga, segundo o Chefe de Estado Maior das Forças Armadas, Anildo Morais, a endurecer o processo de inspeção no recrutamento militar.

Anildo Morais, Chefe de Estado Maior das Forças Armadas, garante que para além de outras consequências, os militares vão ser expulsos da corporação. No entanto o mesmo afirma que o armamento utlizado durante o assalto não pertence às Forças Armadas.

O assalto envolvendo os quatro militares e a tentativa de furto de 6.300 euros e cerca de 1.200 contos, ouro, telemóveis, computadores de entre outros objetos, “mancha a imagem das Forças Armadas”, e vinca que “o processo de recrutamento de novos soldados passará a ser mais exigente”.

De realçar que os quatro militares foram presos em flagrante delito, na sequência de uma denúncia feita por vizinhos sobre um assalto em andamento numa residência no bairro da Cidadela.

O Tribunal da Praia, aplicou como medidas de coação a prisão preventiva para três dos quatro militares e a uma mulher envolvida no assalto, sendo que o quarto vai aguardar o julgamento sob Termo de Identidade e Residência (TIR).

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.