Xadrez nos Jogos Africanos 2019: Cabo Verde participa com 4 atletas das camadas jovens

15/08/2019 23:42 - Modificado em 15/08/2019 23:42

Honorina Duarte Morais (ODERF – Sal), Loedi Eunice Gomes (CX ESPG—Praia), Joel David Pires (Pinéu Chess—S. Vicente) e Luís Carlos Moniz (EBSOM – Sal) são os xadrezistas escolhidos para participar na competição que se realiza em Marrocos, de 19 a 31 de Agosto

A delegação será chefiada pelo próprio Presidente da FCX, Francisco Carapinha, que será também o capitão da equipa pois, actualmente, é o único cabo-verdiano que detém um dos títulos de FIDE Trainers, neste caso o de FIDE Instructor (FI), condição obrigatória para se poder exercer o cargo de capitão numa competição FIDE de equipas.

Uma delegação onde se aposta na juventude, sendo a sua composição ser feita por atletas dos escalões de Juniores.

Campeão Nacional e vice-campeão, apurados no Campeonato Nacional de Juniores realizado na Praia em finais de Março deste ano e as duas melhores xadrezistas femininas participantes no Campeonato Nacional de Juniores.

De acordo com a Federação Cabo-verdiana Xadrez, a participação de uma equipa de xadrez cabo-verdiana nos 12ºs Jogos Africanos não tem intenção de alcançar objectivos imediatos. “Não estamos preocupados com os resultados que possam ser alcançados nos Jogos. Com uma equipa tão jovem, onde provavelmente apresentaremos os atletas mais jovens de xadrez em qualquer uma das competições que se realizarão, o não ficar em último lugar será considerado excelente, pois este será o primeiro contacto internacional dos nossos e nossas jogadoras e logo em competições tão exigentes e onde certamente estarão presentes jogadores de craveira internacional e com muita experiência neste tipo de torneios” refere a federação.

Portanto, considera que o principal objectivo, com esta participação, é o de ter um olhar sobre o futuro, pois a participação dos atletas nacionais, certamente que despoletará noutros jovens o interesse pela modalidade, de tal forma que na próxima época possamos ter um aumento, de pelo menos 50%, de atletas filiados nas camadas mais jovens.

“Também é nosso objectivo que o xadrez no feminino, passe a ter mais participantes e que a próxima época tenha o dobro das atletas filiadas”.

O Xadrez foi introduzido nos Jogos Africanos na edição de 2003, realizada na Nigéria, continuando a fazer parte dos jogos nas edições subsequentes, com excepção da edição de 2015 realizada no Congo Brazzaville. Com a retirada da Guiné Equatorial na organização da edição dos jogos deste ano, o Reino de Marrocos propôs-se organizar esta 12ª edição dos Jogos Africanos.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.