Ex-funcionária da Câmara da Praia acusada de 26 crimes de burla envolvendo táxis

11/08/2019 23:53 - Modificado em 11/08/2019 23:53

O Ministério Público acusou uma ex-funcionária da Câmara da Praia de 26 crimes de burla e falsificação de documentos, num caso que envolvia ilegalidades no licenciamento de serviços de táxi naquele município.

Em comunicado, o Ministério Público refere que na origem deste processo esteve uma denúncia dando conta de factos, ocorridos entre janeiro de 2015 a fevereiro de 2017, “suscetíveis de indiciarem a existência de ilícitos criminais praticados no âmbito do licenciamento da atividade de transporte em táxi no município da Praia”.

Concluídas as diligências, o Ministério Público refere que no dia 26 de julho determinou o encerramento da instrução, deduziu acusação e requereu julgamento contra a ex-funcionária da autarquia e uma pessoa próxima, bem como contra uma empresa.

O comunicado acrescenta que à mulher, de 36 anos e que à data dos factos trabalhava na Direção de Cobrança Coerciva da Câmara Municipal da Praia e no Serviço de Licenciamento de Táxis da autarquia, foi imputada a prática de 26 crimes de falsificação de documentos em autoria material e em concurso real efetivo com 26 crimes de burla qualificada.

O Ministério Público imputa os mesmos crimes ao homem, de 46 anos e que “à data dos factos mantinha relações de afetividade com a arguida”, bem como contra a sociedade unipessoal criada por ambos.

Por Lusa


Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.