Mulher fruto de uma violação quer usar o seu ADN para acusar pai

5/08/2019 17:27 - Modificado em 5/08/2019 17:27

A mãe biológica, contudo, nega-se a apresentar queixa e a permitir que uma investigação ao caso se desenvolva.

Uma mulher que alega ser fruto de uma violação quer recorrer a testes de ADN para descobrir quem é o seu pai e condená-lo na justiça.

Segundo esta, a sua mãe era ainda uma adolescente quando um amigo da família a violou, na década de 70. A jovem, que é adotada, descobriu a verdade quando analisava o seu processo de adoção. Esta considera-se “uma prova andante do crime”

Segundo a jovem, existem sete referências à violação no seu processo. Evidências que os serviços sociais, a polícia, e os profissionais de saúde ignoraram e que a deixaram “zangada e devastada”.

Foi então que se lembrou: “Eu tenho provas de ADN, porque eu sou essa prova”.

A mulher diz-se revoltada por ser a consequência de um crime e ninguém a encarar como uma vítima, apesar de toda a vida ter sofrido as consequências psicológicas de ser uma criança adotada, diz o Metro britânico.

Apesar do seus esforços para fazer justiça, esta tem tido problemas em prosseguir com os seus intentos, dado que a sua mãe biológica não quer cooperar com a investigação, não podendo a polícia abrir um processo e investigar o caso, enquanto esta não apresentar uma queixa.

Por Notícias ao Minuto

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.