Dia da Mulher Africana

30/07/2019 23:31 - Modificado em 30/07/2019 23:31

Há 57 anos que o continente africano celebra o dia da Mulher Africana no dia 31 de Julho. Data instituída em 1962 em Das-Es-Salaam, na Tanzânia, por 14 países e oito Movimentos de Libertação Nacional, na Conferência das Mulheres Africanas.

A assinatura deste documento surgiu quando foi criada a organização Panaficana das Mulheres, que tinha o objetivo de discutir o papel da mulher na reconstrução de África na educação, na garantia da paz e na democracia.

Ao longo de todo o continente, a mulher continua a ser discriminada e subjugada, mas ao mesmo tempo, tem conquistado espaços no mercado de trabalho e de poder. Depois da descolonização de África, na segunda metade do séc. XX, muitas mulheres ganharam espaço no mercado de trabalho e na sociedade.

O dia continua a ser lembrado pois, no continente africano, o panorama da mulher continua trágico, apesar de pouco a pouco começarem a aceder a uma independência económica e a cargos de decisão e de poder.

Esta terça-feira, a deputada do MPD, Lúcia Passos, em antecipação da celebração desta data, porque hoje, quarta-feira, 31, é dia de debater o “Estado da Nação”. Esta considera que celebrar este dia  é, sobretudo, um momento de reflexão sobre os desafios  que as mulheres e os homens africanos têm para vencerem juntos. Considerações feitas durante a sessão parlamentar desta terça-feira.

Por sua vez, Felisberto Vieira (PAICV), membro do grupo nacional no Parlamento Panafricano, associou a sua voz à da deputada do MpD, para  também realçar o contributo da mulher africana na construção de um continente melhor.A deputada Dora Oriana, eleita pelas listas da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) também fez ouvir a voz do seu partido nesta questão do Dia da Mulher Africana.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.