Olavo Correia: “Temos dinheiro. Dinheiro é o que não falta hoje”

17/07/2019 23:54 - Modificado em 17/07/2019 23:54
| Comentários fechados em Olavo Correia: “Temos dinheiro. Dinheiro é o que não falta hoje”
Foto: Inforpress

O vice-ministro e ministro das Finanças disse hoje que Cabo Verde “já tem dinheiro que não falta” , pelo que exortou os cabo-verdianos, sobretudo os jovens empresários, a serem competentes para competirem à escala global.

Olavo Correia, que falava à imprensa esta tarde na conferência “Master Class”, sobre o acesso ao financiamento, promovida pela Associação de Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC), justificou a sua ideia com a disponibilização de 10 milhões de euros do Fundo de Garantia Parcial, 90 milhões de euros do Fundo Soberano para Promoção do Investimento Privado, 470 milhões da Linha do Financiamento do Compacto Lusófono.

A estes números acrescentou ainda cerca de 500 milhões de euros do Flexibanc, ressalvando mesmo que “tudo somado é dinheiro que nunca mais acaba”, alertando, entretanto, para a criação de “projectos bancáveis, gestores adequados para gerir os projectos e criar valores e ideias de negócio que possam criar valores para todos”.

“Temos dinheiro. Dinheiro é o que não falta hoje”, ressalvou o ministro das Finanças, para quem torna-se necessário o país ter gente preparada, bem qualificada e formada, para que Cabo Verde possa vir a ser um país extraordinário, com potencialidades em sectores como o turismo, pesca, tecnologias, ao nível financeiro, da indústria, do comércio, num momento em que “todo o mundo quer investir” no arquipélago.

Para o efeito, exortou os cabo-verdianos, sobretudo os jovens empresários, no sentido de serem competentes para desenvolver produtos e soluções para serem colocados no mercado nacional e internacional, chamando atenção para a necessidade de se competir à escala global.

Isto por entender que “este país tem tudo para ser um país desenvolvido, afirmando mesmo que nos próximos 10 anos pode-se fazer coisas extraordinárias”, desde que se trabalhe para criar valores, oportunidades, para que os jovens cabo-verdianos tenham mais chances para que as ilhas possam desenvolver-se.

Disse que o Governo está disponível para suportar “quem queira trabalhar e investir e pensar grande”, sublinhado que os agentes políticos têm que ter um compromisso e sentido de Estado e responsabilidade em relação ao futuro de Cabo Verde, numa narrativa conjunta alinhada, para que todos possam fazer de Cabo Verde um país de felicidades para todos.

Olavo Correia realçou que o país precisa de jovens empreendedores para se avançar, desde que tenham ideia e que consigam olhar para a economia para a construção de um modelo de negócio, com vista a criação de emprego, gerar rendimentos para que o país possa avançar.

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.