UCID classifica de medíocre, estúpida e indigna a intervenção de Augusto Neves

16/07/2019 12:58 - Modificado em 16/07/2019 12:58

António Monteiro diz que ao fazer as afirmações, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, quer somente, desviar atenção do povo de São Vicente da péssima gestão que a Câmara vem executando, não obstante de um pequeno aumento da transferência das verbas que o governo do MPD vem fazendo os últimos anos.

Declarações feitas esta manhã, em conferencia de imprensa, na resposta às reações de Augusto Neves, que acusou o líder da União cabo Verdiana Independente e Democrática, UCID, de ter utilizado como “bengala”, o Movimento Cívico Sokols-2017 que organizou a manifestação de 05 de Julho para incentivar a violência e ódio da população “pacata e ordeira só para afundar e prejudicar a ilha de São Vicente”.

Sobre a expressão “Mascrinha de cú pelod”, responde que não se revê nestas tolices e insultos.

Para o líder da UCID, “já estamos acostumados ao baixo nível do presidente da CMSV com intervenções medíocres, ignaros e indignos do representante de um povo que deveria ser sabiamente reapresentado”.

António Monteiro defende-se das acusações afirmando que a UCID é “um partido pacifista, de valores e princípios humanos e que dá muita importância as manifestações e reivindicações de todos os cabo-verdianos, estejam eles onde estiverem e de onde vierem”, isso porque conforme Monteiro, a democracia manda e obriga a isso e que cabe em último lugar ao povo decidir sobre o destino que quer dar à sua vida e país.

“Quando os governos não resolvem os problemas, em democracia caberá sempre ao povo, em última instancia, a resolução dos problemas”, destaca António Monteiro dizendo ainda que a UCID considera que quem tem andado a incitar a violência nesta ilha do Monte Cara é o “senhor presidente, que com uma visão muito curta e redutora, é incapaz de aproveitar todo o potencial da ilha para atrair mais investidores, gerar riquezas e criar mais postos de trabalho”.

De acordo com o dirigente da UCID, São Vicente perdeu em 2018, cerca de 2470 postos de trabalho, e “nesta altura, o presidente da câmara não pronunciou sobre o tema”, critica Monteiro que assegura ainda que quem tem andado a “afundar a ilha é o próprio presidente ao mostrar incompetência na dinamização de geminações com outras câmaras municipais por este mundo fora, onde o município poderia de forma reciproca, tirar vantagem nos diversos domínios ampliando as oportunidades da ilha e reduzindo as assimetrias socias”.

E que é ele, Augusto Neves, que tem andado a prejudicar a ilha, mostrando incapaz de responder satisfatoriamente as demandas sociais da população mais vulnerável no que toca ao acesso a habitação condigna, água, rede esgoto, entre outras necessidades.

Portanto, concluí que quem tem incitado a violência é o próprio edil, ao se mostrar indiferente às dificuldades que a sua péssima gestão camararia vem criando aos milhares de munícipes que vivem o seu dia-a-dia em São Vicente.

E que também, de forma vil e inusitada, persegue os funcionários que não “leem pela sua cartilha partidária” ou que se apresentaram em listas eleitorais diferentes da sua e, pela “calada da noite usurpa os poderes da Assembleia Municipal, lançando assim dúvidas em negócios que deviam merecer toda a transparência necessária”.

E que continua a demonstrar a sua teimosia, na recolha e tratamento dos resíduos sólidos da ilha, fazendo com que esta, continue a fazer a recolha em horários impróprios levando aos munícipes a utilizar postes e árvores para pendurar sacos de lixo dando uma má imagem da cidade.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.