INPS lança novo portal digital para aproximar a instituição dos seus beneficiários

16/07/2019 00:21 - Modificado em 16/07/2019 00:21

O Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) lançou hoje, na Cidade da Praia, o novo portal digital para, segundo a presidente do conselho executivo (PCE), Orlanda Ferreira, aproximar a instituição dos seus beneficiários.

Foto: Inforpress

Há um conjunto de prestação de serviços prestados pelo INPS que passarão a ser feitos através deste nosso portal, que é muito dinâmico e seguro”, garantiu a PCE do INPS, acrescentando que isto “vai mudar as relações” da instituição com o público utente do seu serviço.

Tendo em conta a protecção dos dados pessoais dos utentes do INPS, cujos registos revelam cerca 235 mil, de acordo com Orlanda Ferreira, é preciso “muito cuidado”, mas, adiantou, que cada beneficiário terá o seu log in para aceder ao portal e obter as informações de que necessita, por exemplo, fazer uma inscrição nos serviços de protecção social.

Instada sobre a sustentabilidade da previdência social no futuro, anunciou que no próximo ano será feito um estudo nesse sentido e, se forem detectadas necessidades de se fazer correcções, estas serão introduzidas, com vista a garantir que no futuro o sistema funcione sem problemas.

“Até este momento estamos numa situação que consideramos satisfatória e boa para garantir uma pensão a todos aqueles que estão inscritos”, afiançou a presidente do INPS.

Confrontada com reclamações por parte dos contribuintes do INPS, segundo as quais o sistema não comparticipa nas despesas resultantes da ressonância magnética, diagnóstico esse que só é feito nos privados, Orlanda Ferreira esclareceu que a sua instituição só disponibiliza aquilo que faz parte da lista de cuidados de saúde definidos em Cabo Verde.

À pergunta se acha que os médicos não devem prescrever aos seus pacientes diagnósticos, como a ressonância magnética, respondeu nesses termos: “Os médicos prescrevem aquilo que bem entenderem em prol da saúde do beneficiário. E a segurança social também tem a possibilidade de decidir sobre aquilo que deve comparticipar”.

Por sua vez, o ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, que presidiu à sessão da cerimónia de abertura do lançamento do referido portal, congratulou-se com a iniciativa que, na sua perspectiva, garante a “modernização e a rapidez” da informação, de modo a permitir que fiquem cientes dos seus direitos e deveres.

O governante lamentou o facto de, apesar de esforços e melhorias significativas registados no país, muitos cabo-verdianos ainda estarem fora do sistema de segurança social, “sobretudo as mulheres e os residentes nas zonas rurais” e parte significativa da população em idade activa que não têm acesso ao emprego.

Fonte :  noticias.sapo.cv

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.