SOKOLS diz que o impacto da manifestação de 05 julho ultrapassa largamente as fronteiras de São Vicente

12/07/2019 21:39 - Modificado em 12/07/2019 21:39

A manifestação de 05 de julho deste ano teve uma presença massiva da população, o que para o movimento SOKOLS 2017, os promotores desta demonstração de desagrado, esta correspondeu “cabalmente às altíssimas espectativas que a antecederam”.

Segundo o líder deste movimento cívico, “a participação massiva da população de São Vicente deixou claro que o papel do SOKOLS 2017 na organização deste protesto foi o de mero facilitador. “O verdadeiro motor desta manifestação foi a insatisfação generalizada criada com as decisões do Governo e da Câmara Municipal, que é sentida transversalmente pela sociedade mindelense”.

Para Salvador Mascarenhas, o impacto desta manifestação ultrapassa largamente as fronteiras de São Vicente e que as populações das restantes ilhas do Norte, da Diáspora e a sociedade civil consciente em todo o país reagiram de forma expressiva e solidária a esta iniciativa memorável do povo de São Vicente.

“A manifestação despertou a memória coletiva de uma ilha que contem um enorme e reconhecido potencial económico e cultural; e que poderá dar muito à nação se houver assertividade nas políticas públicas”.

Refere ainda que a sociedade civil sanvicentina demonstrou que está consciente que a solução para a “estagnação económica em que se encontra o país” e, particularmente, as ilhas periféricas, passa pela autonomia necessária para que cada ilha possa decidir as questões impactantes e intrínsecas das mesmas.

Por isso, perante a coesão demonstrada pela sociedade civil na defesa dos seus direitos, o SOKOLS 2017 diz-se sentir “enormemente motivada para continuar a luta” pela consciencialização do eleitor cabo-verdiano e pela transformação da filosofia de governação do país.

Portanto, reafirma que a população de São Vicente está atenta e vigilante às promessas politicas e económicas que foram feitas em campanha, e que não conheceram qualquer seguimento ou concretização, nomeadamente o Hub marítimo, o Terminal de cruzeiros, a melhoria dos transportes, o data center , entre outras.

E que a população,  está consciente que, o invés da concretização das referidas promessas, São Vicente e o Norte, por extensão, foi sitiada por um bloqueio de transportes aéreos e marítimos, que resultou, segundo Mascarenhas “na progressiva asfixia da economia da ilha, com perdas significativas para os operadores nos sectores do comércio e do turismo, e para os seus trabalhadores.Portanto desafia o Governo a prestar contas das decisões danosas que tem tomado para a ilha nesta e em outras matérias; e que nos esclareça sobre as decisões que pretende tomar no futuro para reverter a situação ruinosa por que passa a região, e que foi claramente ilustrada pela adesão massiva a esta manifestação.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.