Praia : Activistas convocam manifestação para dizer ao governo “NU KRÉ-EMPREGO”

9/07/2019 23:55 - Modificado em 9/07/2019 23:55

Está a nascer nas redes socias um movimento que pretende, no dia 11 de Agosto de 2019, Dia Internacional da Juventude organizar “uma grande manifestação na cidade da Praia pelo direito ao emprego”.

De acordo com os promotores da manifestação, denominados “Jovens Força da Mudança”, por enquanto a iniciativa cinge-se à ilha de Santiago. Mas, se outras ilhas pretenderem aderir, dizem que seria bem melhor. “Afinal o desemprego afeta o país no seu todo”.

Por isso, contam com presença massiva dos jovens e dos que de facto se preocupam com o bem-estar da juventude. Sobre as linhas gerais desta manifestação, afirmam que este é o momento de contactos com associações, organização da sociedade civil e jovens desempregados para organizar e dar força a esta demonstração de vontade.

“A definição da linha orientadora da manifestação será traçada com contribuição de todas as associações tendo em conta os problemas que o desemprego acarretam em cada bairro onde estão sediados”, elucida a organização.

Estes jovens cabo-verdianos, todos desempregados vão manifestar-se na capital do país, mas querem estender esta iniciativa a todo o arquipélago, para exigir emprego num país onde, segundo os dados oficiais, o desemprego jovem  apesar ter descido, cifra-se nos 32,4% e o subemprego em 16%.

O objetivo é pressionar o Governo, levando este a dar uma maior atenção às questões relacionadas com a juventude. A criar políticas de emprego ou ainda a criar mais parcerias com empresas privadas para que se dinamize o mercado de emprego, lembrando que o atual Primeiro ministro, Ulisses Correia e Silva, na campanha para as eleições Legislativas ocorridas em Março de 2016, prometeu criar 42 mil postos de trabalho no país.

O movimento realçou que a marcha é para chamar a atenção para o facto de o desemprego estar a afetar muitos jovens. E que, em 3 anos e 4 meses de Governação, a perceção com que ficam é que o desemprego aumentou e não diminuiu, conforme os dados oficiais e portanto defendem que o emprego é a melhor forma de diminuir a delinquência no país.

  1. Carlos Monteiro

    Foi com bom grado que recebe essa mensagem, porque é estranho, uma Cidade Capital onde existem quadros com capacidade de movimentar, organizar, exigir e solicitar explicação aos governantes do país, quanto as promessas de campanha, que estimularam camada jovens a votarem massivamente, na perspetiva que serão criados 45.000 postos de trabalho durante a legislatura, mais bolas de estudos e oportunidades para jovens, melhoria de transportes aéreos e marítimos, habitações sociais, extinção de cobrança de taxas moderadoras nos hospitais, isenção de pagamentos de propina, entre outras promessas, o que os jovens estão a observarem no domínio de emprego, é exploração e escravatura dos quadros formados, porque o Governo, as Câmara Municipais e empresas públicas e privadas, aproveitam os estágios profissionais, para pagarem um salario de miséria aos jovens quadros. È verdade que, se em todas as ilhas do país e em alguns Concelhos com menos quadros, estão a movimentarem-se exigindo os poderes centrais e locais os compromissos, obviamente que os quadros da Capital do País devem dar um sinal, exigindo respeito dos detentores dos dois poderes. A manifestação deve ser massiva sobretudo a participação dos jovens, porque « Quem kala consenti-se». Tenho dito.

  2. burcan pires

    MPD STÁ RESTRITO A UM GRUPINHO EM TODAS AS ILHAS SABE DIMÁS CA TA ODJA PA LADO PA QUES MILITANTES E DIRIGENTES QUE PÓS LÁ. DAI MANIFESTAÇON UM POCO PA TUDO LADO.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.