Fogo: Acidente de carro provoca duas vítimas mortais

9/07/2019 13:21 - Modificado em 9/07/2019 13:21

Segundo a Polícia Nacional o acidente envolveu uma viatura de caixa aberta de marca Toyota, modelo Dina 100, que fazia o percurso Luzia Nunes/Monte Genebra, com seis ocupantes, incluindo o condutor, despistou-se e caiu num precipício com cerca de 30 metros, isto ao tentar fazer uma curva.

Um dos ocupantes morreu no local e outro quando era conduzido para o hospital. Outras quatro ficaram feridas, estando duas delas em estado grave. De acordo com a Inforpress, um dos ocupantes, um adolescente de 16 anos, o que sofreu menos ferimentos terá pulado da viatura antes desta cair no precipício.

A causa do acidente não foi avançada pelas autoridades policiais, mas supõe-se que o excesso de velocidade terá sido a causa do mesmo.

A causa da morte de dois dos ocupantes da viatura, ambos do sexo masculino com idade na casa dos 20 a 30 e poucos anos, foram traumatismo diversos, indicado pela forma como a viatura se encontrava, isto segundo fonte hospitalar.

A viatura e os ocupantes são de Chã das Caldeiras e fazem parte das famílias que beneficiaram de parcelas irrigadas na zona de Monte Genebra.

O director do hospital regional São Francisco de Assis, Evandro Monteiro, descreveu a situação como “terrível” tendo registado no local dois óbitos. “Um no local do acidente e outro durante o percurso para o hospital”.

Este diz ainda que quando a equipa chegou ao local, a segunda vítima, a que viria a falecer no trajecto, “estava praticamente em morte cerebral devido a traumatismos”.

Além dos dois mortos, Evandro Monteiro adiantou a existência de dois feridos graves, sendo um de maior gravidade com traumatismo craniano-encefálico “muito grave e em coma profundo” e outro com traumatismo craniano leve a moderado, apresentando uma provável fratura a nível do membro superior esquerdo.

Há ainda outros dois feridos cuja situação clínica é estável, sendo que uma delas com traumatismo craniano encefálico, mas, segundo o médico, “está consciente e sob terapia médica” e um outro sem grandes alterações neste momento, sendo que todos estão sob cuidados médicos.

Questionado se alguns deles vão ser transferidos para o hospital central da Praia, Evandro Monteiro indicou que perante a gravidade da lesão de um dos feridos, mas também pelas manifestações e pelos dados clínicos obtidos, mas dependendo da evolução e da avaliação a definir pela equipa médica local terá necessidade de uma abordagem maxilo-facial e por isso deve ser transferido para o hospital Agostinho Neto.

O director do hospital indica que as próximas 12 horas são “fundamentais” e os feridos vão continuar sob cuidados médicos porque são pacientes com traumatismo e precisam de cuidados porque podem ter complicações advenientes de traumas.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.