Mindelo: Plantas altas nos separadores e rotundas provocam acidentes ao retirar a visibilidade

8/07/2019 23:57 - Modificado em 8/07/2019 23:57

As plantas existentes nos canteiros, em alguns pontos da cidade do Mindelo, como é o caso na zona da Avenida Marginal e Rua de Praia, têm vindo, segundo alguns condutores e peões, a causar vários constrangimentos a quem circula nessa zona.

Estes pedem que a Câmara Municipal de São Vicente tome medidas em relação às plantas que vem causando algum transtorno pela falta de  visibilidade quando circulam nas rotundas ou em vias com separadores, o que é suscetível de originar acidentes.

Esta é uma constatação de muitos condutores que diariamente circulam por esses dois locais, já para não falar de outros onde se podem verificar os mesmos constrangimentos.

Um dos condutores com quem  falamos mostrou-se bastante irritado com essa situação. Este alega que há muito que contactou a edilidade sanvicentina sobre a possibilidade cortar ou rebaixar estes arbustos mas, até esta data, nada foi feito. O mesmo sugere que a câmara, ao invés de colocar essas plantas grandes, deveria colocar arbustos mais baixos evitando que tirem a visibilidade aos condutores

O mesmo adianta que já assistiu a vários acidentes envolvendo veículos e pedestres nas passadeiras, porque os arbustos limitam a visibilidade e às vezes as pessoas entram sem prestar atenção e as plantas só pioram a situação.

Outro condutor diz que há bem pouco tempo teve a infelicidade de embater num peão, em plena passadeira, por falta de visibilidade devido a altura das plantas existentes no local. A passadeira fica situada junto a esses separadores.

Defende  que “a CMSV tem que fazer algo em relação a essas plantas. Essa situação não é de hoje, quantos acidentes mais têm de acontecer para que algo seja feito”, questiona.

“A passadeira realmente é muito perto desses separadores, nunca passo sem ter a certeza que os condutores dos veículos estão ver-me na passadeira”, diz uma transeunte. Esta alega que algo deveria ser feito por parte da CMSV, “pelo menos desbastar essas plantas um pouco”.

“Essa situação acontece em todas as partes, e todos os dias. Eu gosto de fazer as minhas caminhadas e já assisti a vários acidentes, em vários pontos da cidade do Mindelo”, diz outro pedestre.

Avança, ainda, que há pouco tempo dois veículos quase colidirem, na zona de Laginha, por causa da pouca visibilidade ali existente”.

O Notícias do Norte tentou obter uma reação da Vereadora Carla Monteiro, responsável pelos pelouros do Ambiente, Saneamento e Abastecimento, Sensibilização Ambiental e Limpeza Urbana, mas esta não se encontrava disponível no momento, pelo que o NN tentará trazer, numa próxima oportunidade, os esclarecimentos da edilidade sobre o assunto.

  1. Boise Soncent

    Oh Tatau jam oia que bo ca t conduzi nem um tricicle por iss q bo t dze assim…. dia q bo tema um rabencada de um corr por causa de ques plantas por causa de visibilidade bo t tema consciencia do perigo… lugar t perigoso tont pa pedestres como pa condutores… quel la é um aberração que camara fazé… ques plantas poderia ser simplismente de pequeno porte e tud gente tava feca trenkil…

  2. Pedro Tomás Mota

    Não são só as rotundas e passadeiras que os arbustos precisam de ser capinados .
    Também há jardins que estão demasiadamente encobertos servindo de escinderijo para piratas , servindo de retretes e urinóis.
    Por exemplo em Chã de Crickete há um jardim que é um autêntico esconderijo, tornando-se perigoso que a Câmara Municipal apenas limita-se a regä-lo, mas nâo faz a capinação dos arbustos que é tão necessário, evitando muitas situaç!oes.
    A Câmara precise ver isso.

  3. pedro barbosa

    So quem nao tem olhos eh que nao veh. Se isso fosse em paises que prezam pela vida humana a CMSV ja teria desembolsado milhares de contos de indemnizacao.
    Zonas verdes e plantas sao necessarias na vida de uma cidade/localidade mas tem que ser em coordenacao com o transito de pessoas e veiculos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.