Papalele: “Queremos entrar fortes na prova porque o nosso principal objetivo é revalidar o título”

4/07/2019 23:17 - Modificado em 4/07/2019 23:17

Depois de uma época brilhante ao serviço do Mindelense, Papalele aponta baterias agora para a sua estreia ao serviço da seleção de São Vicente, na Taça Independência 2019. A competição arranca já este fim-de-semana em São Nicolau. A seleção sanvicentina estreia-se na prova no sábado, 06 de Julho, frente à seleção da Boa Vista.

Na sua estreia com a camisola de São Vicente, o jovem internacional cabo-verdiano conta que a experiência tem sido boa, salientado a qualidade dos jogadores que integram o lote de convocados, o que tem facilitado a sua integração no novo modelo de jogo.

“Já criamos um grupo forte e unido, porque todos estão unidos e focados no mesmo objetivo: trazer a taça para a nossa ilha. Porque sem a união nada será possível. Estamos preparando-nos muito bem para podermos ultrapassar todos os nossos adversários. Estamos cientes de que temos jogadores capazes de ultrapassar todos os obstáculos” assegura o avançado.

Mesmo jogando a competição fora de portas, o novo dono da camisola 10 da seleção sanvincentina não vê nenhuma pressão nisso, assegurando que quem representa a ilha de São Vicente tem que estar habituado a isso. É essa mística vencedora que caracteriza a ilha de Monte Cara. “Jogar dentro ou fora de casa para nós é a mesma coisa. Vamos encarar todos os jogos da mesma forma, com muito esforço para sairmos de cada jogo com os três pontos” diz Papalele.

“Queremos entrar fortes na prova porque o nosso principal objetivo é revalidar o título. Somos campeões em título e revalidá-lo é o nosso grande objetivo” vinca o jogador, que diz estar a assimilar bem os novos aspetos táticos da equipa técnica liderada por Piki.

Sobre o adversário chamado Boa Vista, o vice-campeão em título, um osso duro de roer, Papalele diz estar a espera de um adversário difícil, apontando a boa campanha no nacional do Onze Estrelas, equipa com que o Mindelense se cruzou nas meias-finais, como prova da qualidade dos jogadores que compõem a seleção boa-vistense. “A seleção tem jogadores que nós conhecemos muito bem desde o nacional, por isso não vai ser um jogo fácil” frisa.

Marcar ou não na Taça, para Papalele, está no plano secundário, afirmando-se “completamente focado” em ajudar a equipa a conseguir a conquista da Taça. “Se conseguirmos isso, será sem dúvidas a época mais marcante para mim” vinca a coqueluche do futebol cabo-verdiano.

“Peço a todos os sanvincentinos que estejam com o pensamento positivo, e que acreditem em nós, porque vamos lutar para trazer a taça para São Vicente” conclui.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.