São João: Tolerância de Ponto de última hora gera confusão

24/06/2019 16:43 - Modificado em 24/06/2019 16:43

Até às 12 horas não havia tolerância de ponto para  São Vicente devido as festas de S. João. O que acabava com a tradição de longos anos, em que na tarde de 24 de Julho era concedida a tolerância de ponto devido as festividades pagãs e religiosas em honra de S. João Batista na Ribera de Julião.

Isto por que o Governo de Cabo Verde, conforme a sessão do Conselho de Ministros realizada no dia 01 de Dezembro de 2017, deliberou no sentido de conceder tolerância de ponto aos municípios apenas nas festividades do dia do município. Querendo isto dizer que, para este dia 24 de Junho, onde por um pouco por todo o arquipélago se comemora o São João, não pode haver tolerância de ponto nas instituições públicas a não ser no concelho do Porto Novo.

Nos anos anteriores, 2017 e 2018,  ninguém se apercebeu disso, porque o dia 24 de Julho calhou num sábado e depois num domingo. Sendo assim, parece que  nem a CMSV nem o Governo já se lembram da nota saída Conselho de Ministros realizada no dia 01 de Dezembro de 2017,  que deliberou no sentido de conceder tolerância de ponto aos municípios apenas nas festividades do dia do município.

O NN sabe que a tolerância de ponto acabou por ser concedida devido  a intervenção  da CMSV,  que solicitou ao Governo a tolerância de ponto baseado na tradição e no facto de, na realidade, o São João Batista ser celebrado mais do que São Vicente, este é o santo padroeiro da ilha. Na realidade São Vicente tem duas festas do Município : São Vicente e São João.

 Por isso, um facto de não haver tolerância de ponto apanhou muita gente desprevenida, e gerou alguma confusão, sobretudo nos alunos e professores das escolas da ilha, mas também em outras repartições públicas. É que até às 10:00 desta manhã ninguém sabia da existência de uma possível tolerância de ponto.

No entanto a partir das 13:30 algumas instituições públicas concederam a tolerância de ponto, mas outras optaram por manter as portas abertas, respeitando a certidão do Governo referente à tolerância de ponto.

Diz o povo que São João é um santo “ revoltiod” que não tolera desrespeito, mesmo tirando o lugar de, São Vicente,   que não se deve negar nada, por que ele  atende os pedidos dos crentes, é  a ele que o crentes pedem as curas impossíveis. E diz a lenda quando se promete algo a S. João Batista deve-se cumprir. Fará  retirar a possibilidade de o povo honrar o seu santo na Ribeira de Julião, numa festa  onde o pagão e religioso se fundem num sincretismo religioso que molda a alma crioula. A cultura, a tradição, os costumes, estão acima do Conselho de Ministros e das suas decisões. Mas, isso são contas de outro rosário.

  1. João Pedro morais gomes

    Isso é que dá, ter “políticos” desinformados, impreparados e patetas.

  2. Firmino Silva

    Penso que se deve respeitar a moral de cada pessoa.
    Cada um é livre de acreditar, ou de pagar promessa.
    E a festa de São João faz parte da Cultura de um povo, não ha nenhum mal na tolerância de ponto.
    Quanto aos alunos, entendo que como muitos deles já terminaram as provas PGI’s, provas concelhias (para 0 8ano) e PGN para os do 12°ano..daí que estes so vão a Escola para as actividades lúdicas, ou para receber uma prova ou uma preparação. .ou matricularpara o próximo ano letivo.
    Muitos professores (ou trabalhadores da função publica) são religiosos, e é norma la que se sentiram indignados com a decisão de suspender a tolerância de ponto, para impossibilita-Los de participar nas actividades religiosas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.