Sal: Mulher suspeita de afogar o filho aguarda julgamento em prisão preventiva

24/06/2019 00:44 - Modificado em 24/06/2019 00:44

De acordo com a Polícia Judiciária, a jovem quis fazer parecer que a criança nasceu morta, porém, a autópsia realizada pelo médico legista Ledo Pontes, confirmou a morte por asfixia, encontrando-se os pulmões e estômago cheios de água.

A jovem acusada de ter asfixiado um recém-nascido na ilha Sal teria, alegadamente, cometido o crime no local de trabalho, numa unidade hoteleira, quando entrou em trabalho de parto.

A jovem foi detida na quarta-feira pela Polícia Judiciária, e presente ao tribunal, mas o caso teria acontecido, no dia 31 de Maio último, num dos hotéis da cidade turística de Santa Maria, local onde trabalhava.

Segundo a mesma fonte, citada pela Inforpress, a jovem deu à luz sozinha numa área dentro do hotel, tendo de seguida asfixiado o bebé até à morte, por, alegadamente, “ter mais três filhos e medo de a entidade patronal não lhe renovar o contrato de trabalho”.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.