Voos esgotados e falta de alternativas para Julho/Agosto geram descontentamento

19/06/2019 00:33 - Modificado em 19/06/2019 00:33

Com apenas uma viajem diária a ligar São Vicente e o Sal, a Binter não consegue nos meses Julho e Agosto dar vazão ao escoamento de passageiros, pois a procura é maior que a oferta. Uma situação que tem despoletado o descontentamento no seio das pessoas, que viram os seus planos de férias ficar condicionados e sem soluções  à vista.

Tanto para os que vão viajar para o exterior como para os passageiros domésticos, a reprogramação para estes dois meses terá que ser feita, caso ainda não houver uma solução que os beneficie, como o aumento do número de viagens, neste período do ano, considerado a época alta.

 O NN numa ronda feita pela maioria das Agências de Viagem  de São Vicente ficou a saber que os lugares nos voos Sal/São Vicente estão esgotados, a partir de 20 de julho. Este é de resto, o problema central em termos de ligações aéreas, pois a ligação São Vicente/Sal surge como um dos piores índices de ligações aéreas. Isto porque é feito apenas um voo diário da Binter-CV e que transporta 72 passageiros.

O certo é que para estes dois meses, os voos nesta linha estão esgotados, o que deixou indignado um nosso entrevistado, que não se quis identificar. Este aponta que, procurou uma agência de viagens na ilha do Sal, para proceder a compra de um bilhete para São Vicente no mês de Julho e voltar em meados de Agosto para o Sal, mas foi informado que neste momento e para essa data já não há lugares disponíveis. Foi-lhe recomendado fazer uma reserva em lista de espera, caso haja alguma desistência ou aumento do número de voos nessa data.

“Acham que isso é uma solução? Já no ano passado arrisquei-me e fui a São Vicente só com a passagem de ida, porque não havia lugar para voltar. Pois confiei numa possível desistência de alguém, mas acabei por chegar quatro dias mais tarde no trabalho, correndo o risco de ser despedido já que os dias de férias já estavam esgotados, por causa disso. Tive que regressar de barco, mas foi muito cansativo” esclareceu o mesmo. 

O nosso entrevistado classifica de “deplorável”, a situação vivida neste momento em termos de ligações aéreas no país. O mesmo assegura que as pessoas são forçadas a saírem das suas ilhas de origem em busca de trabalho e que em muitos casos os familiares ficam. Quando aparece uma primeira oportunidade de retornar para rever os familiares surgem complicações em termos de voos.

No entanto o NN sabe que a Binter está a trabalhar na possibilidade de aumentar, no verão, as ligações para todas as ilhas, à semelhança do que ocorreu no ano transato e também em períodos de maior procura, isto para dar uma melhor resposta face à muita procura que se regista por parte dos clientes.

Esta situação, de certa forma, tem tido repercussão nos voos internacionais, ou seja, para aqueles que têm necessidade de viajar para a ilha do Sal e depois seguir viagem para o destino final. O que veio retirar muitos lugares nos voos, lugares que, habitualmente, eram ocupados por passageiros domésticos.

  1. CARLOS LIMA

    QUANDO SE TEM UM CONTRATO DE CONCESSÃO E NÃO É COMPRIDA CANCELASSE .

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.