Estudantes cabo-verdianos expectantes com a isenção de comprovativo de meio financeiro para obtenção de vistos para Portugal

14/06/2019 00:49 - Modificado em 14/06/2019 00:49

Os estudantes cabo-verdianos com vagas e bolsas de estudos para cursos de licenciatura em Portugal, já não precisam do comprovativo de meio financeiro para obtenção de vistos, como vinha acontecendo com caso de recusa de vistos pelo consulado. Informação que caiu de bom grado nos jovens que se encontram em situação difícil para dar continuidade aos estudos académicos em Portugal.

A situação de alunos que mesmo tendo vagas para estudar em Portugal, lhes são recusados o visto de permanência, por falta de comprovativo de meio de sobrevivência, era uma questão que representava um entrave para os alunos, porque muitos são provenientes de famílias com pouca condição financeira. 

Neste momento, de acordo com a Ministra da Educação, Maritza Rosabal, existe uma deliberação da União Europeia que os estudantes de Cabo Verde que tenham vagas ou bolsa para o Ensino Superior, com matrícula comprovada nas universidades, não requerem esse processo de apresentação do comprovativo financeiro.

Mesmo assim, esta informação caiu de bom grado no seio dos estudantes cabo-verdianos, como é o caso da jovem Maria Conceição, que tenciona dar continuidade aos estudos universitários em Portugal, mas afirma que a sua família não tem condições financeiras suficientes para entregar uma comprovação conforme o exigido. Nisso vê uma boa oportunidade para fazer lá fora o curso que sempre quis, pois aqui em Cabo Verde ainda não existe.

Na mesma condição está a jovem Jamilene Cristina, que sustenta que esta é uma “boa notícia” para os estudantes bolseiros para Portugal. Esta diz que começou a tratar dos papéis no início de 2018, para dar continuidade aos estudos na Universidade Lusófona de Lisboa, Portugal, mas que devido a falta de comprovativo de meio financeiro, não conseguiu o visto, por entenderem que não cumpria com os requisitos desejados.

No entanto, diz esperar que sejam cumpridas as regras e a lei da parte das autoridades que gerem todos estes processos e que não fique apenas no papel, porque desta feita, tentará de novo a sorte, esperando que o desfecho seja favorável.

Entretanto, essa deliberação negociada pelo Governo e que entrou em vigor em Outubro de 2018 não abrange os alunos com vagas ou bolsas para a frequência dos cursos profissionais, nomeadamente as vagas e bolsas conseguidas através das câmaras municipais.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.