Piki: “Estamos de peito aberto para fazermos um bom trabalho”

6/06/2019 23:50 - Modificado em 6/06/2019 23:50

José Firmino, “Piki”, o treinador da selecção de futebol que irá defender as cores da ilha do Monte Cara no torneio Inter-Ilhas, a realizar em São Nicolau, assegura que de dirigir uma seleção como a de São Vicente é sempre bom, porque existe muita responsabilidade em ganhar.

Em declarações ao NN, “Piki” esclareceu que foi convidado em Dezembro para assumir o destino da seleção, começando desde então a esboçar a equipa dentro do seu modelo de jogo preferido, num processo que segundo o mesmo levou 5/6 meses. “Os critérios escolhidos foram a polivalência, rendimento, liderança, e também, como não poderia deixar de ser, a qualidade. Inclusive foi a parte mais difícil porque temos muita qualidade em São Vicente” sustentou.

De acordo com o mesmo, a participação do Mindelense no campeonato nacional – prova que viria a vencer – fez que com a lista de convocados fosse divulgada apenas após a conclusão do referido campeonato. Porque, como diz, não queria que os jogadores se desfocassem do seu trabalho no clube. “Mas já havia algum tempo que a seleção estava praticamente fechada. Só temíamos lesões, porque já não tínhamos dúvidas sobre os jogadores que queríamos para a nossa equipa” explicou.

Para o treinador o pouco tempo (4 semanas) até ao início da prova, condicionou para que pudesse ser feita uma pré-convocatória, porque neste pouco tempo entende que seria mais difícil de implementar o modelo de jogo que quer para a equipa. “A seleção está sempre aberta, porque no futebol acontecem lesões, o que nós não desejamos que venha a acontecer. Mas temos uma lista de pré-convocados preparada para colmatar possíveis baixas”.

“A pressão de vencer é sempre boa, e a responsabilidade de dirigir uma seleção como a de São Vicente, é para ganhar, porque é a ilha que tem mais troféus nesta competição. Independentemente de nós sermos ou não detentores do título, a nossa equipa entra sempre para vencer, porque somos uma ilha de guerreiros e vencedores. Estamos de peito aberto para fazermos um bom trabalho, para atingir o nosso objetivo que é o de vencer o título em São Nicolau” vincou.

Sobre as criticas que têm circulado nas redes sociais, em alusão a alguns jogadores não convocados, “Piki” afirma que numa ilha com 80 mil habitantes, é normal que todos tenham as suas paixões clubísticas e familiares. “A equipa técnica queremos o que é melhor para a nossa seleção, dentro da nossa ótica de ver o futebol. Por exemplo no lado direito, se fosse para ser convocado dois laterais, é claro que poderíamos também levar o Yuran do Mindelense, mas como é apenas um optamos pela polivalência, e fizemos um corte. Foi mera opção técnica, porque qualidade há muita e isso acontece em todas as seleções”.

“Piki” pede aos adeptos que deixem a equipa técnica fazer o seu trabalho com “tranquilidade”, para que as conclusões sejam feitas apenas no final da prova. Se o corpo técnico foi ou não competentes na tomada de decisões.

Com oito jogadores na convocatória o Mindelense, atual campeão nacional, lidera a lista de 19 convocados. Conforme Piki isso não é espanto para ninguém pois, assegura que a equipa esteve mais tempo em altas competições e que por isso os jogadores estão mais rotinados, para além das suas qualidades. “Criamos uma base dentro do Mindelense, tínhamos o Toy Adão que, por razões pessoais infelizmente, acabou por ficar de fora. Queríamos dar continuidade às coisas boas que o Mindelense tem vindo a fazer, onde foram campeões de Cabo Verde com mérito, mas achamos que seria ideal reforçar algumas posições”.

De acordo com treinador, só poderá contar com todos os convocados a partir da próxima segunda-feira, 10, devido a dispensa dada aos jogadores do CS Mindelense que terminaram os compromissos do clube somente no passado domingo, 01, de junho.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.